O que fazer quando alguém da sua casa testou positivo para a COVID-19

A questão é como se proteger quando uma pessoa da família testou positivo para a COVID-19.

Esta é uma situação importante a ser considerada porque sabemos que os membros da família têm um risco de infecção de cerca de 50 por cento quando alguém que mora em sua casa testou positivo para a COVID-19.

Para ajudar e cuidar da pessoa que testou positivo para a COVID-19 e, em simultâneo, se manter seguro, considere oito dicas de especialistas a seguir.

1. Procure realizar o teste

Se alguém em sua casa tiver testado positivo para COVID-19, faça um teste PCR para COVID-19 para si mesmo o mais rápido possível.

No entanto, mesmo se der negativo, não exclui a infecção precoce, quando as cargas virais podem estar abaixo do nível de detecção, causando um teste falso negativo.
A sensibilidade dos testes aumenta drasticamente em 5 a 7 dias após a última exposição.
Para um segundo teste confirmativo de PCR COVID-19 é aconselhável fazê-lo após essa janela.

Se você preferir não ser testado, ficar em quarentena por 14 dias é outra opção. Isso desde que não haja o desenvolvimento de nenhum sintoma muito grave.

Qualquer pessoa que entrou em contato com a pessoa que possui COVID-19 deve ser informada.

Os membros da família e todos os outros contatos próximos devem ser considerados positivos, afirmou um especialista.

2. Limite o contato de quem testou positivo para a COVID-19

Em suas diretrizes para cuidar de alguém com COVID-19, o Centro de Controle e Prevenção de Doenças (CDC) americano afirma que:

  • A pessoa com COVID-19 deve se separar das outras pessoas da casa;
  • Se possível, a pessoa com COVID-19 deve usar um quarto e banheiro separados;
  • Todos na residência devem ficar a pelo menos 2 metros de distância da pessoa com COVID-19 com a maior frequência possível.

A pessoa que testou positivo para a COVID-19 deve ser colocada em quarentena por um mínimo de 14 dias a partir do início dos sintomas ou teste positivo. Um tempo mais extenso deve ser considerado para os casos graves.

3. Mantenha as janelas abertas

Para melhorar a ventilação em seus aposentos, mantenha as janelas abertas tanto quanto possível.
Mesmo que isso, muitas vezes, signifique aumentar o aquecimento.

Isso é especialmente importante quando lembramos que em casa o vírus pode permanecer no ar em gotículas muito pequenas e potencialmente infectar outras pessoas.

4. Use máscara

A pessoa que testou positivo para a COVID-19 deve usar uma máscara quando estiver perto de outras pessoas, e qualquer pessoa que more com ela deve usar uma máscara ou cobertura facial também.

As máscaras ajudam a conter as infecções respiratórias do nariz e da boca da pessoa infectada. Mas dados mais recentes confirmam que as máscaras protegem os indivíduos de serem infectados também.

O uso de máscaras não garante 100 por cento de proteção contra a contaminação pelo vírus causador da COVID-19. Porém, reduz drasticamente as chances.

Uma máscara cirúrgica é boa, principalmente se for bem selada. Uma máscara de pano é melhor que nada, afirmou um especialista. E se você não tiver nenhum dos dois, usar um moletom sobre o nariz e a boca pode fornecer um certo nível de proteção.

Usar óculos de proteção quando estiver perto da pessoa testou positivo para a COVID-19 pode proteger contra a transmissão do vírus diretamente para as membranas mucosas dos olhos.

5. Lave as mãos e desinfete as superfícies

  • Lave as mãos frequentemente com água e sabão por pelo menos 20 segundos, especialmente após estar perto da pessoa que testou positivo para a COVID-19;
  • Use desinfetante para as mãos que contenha pelo menos 70 por cento de álcool. Isso quando água e sabão não estiverem disponíveis;
  • Evite tocar seus olhos, nariz e boca com as mãos sujas.

Lavar as mãos é útil e faz muito sentido quando se convive com uma pessoa doente. É importante que a pessoa doente lave as mãos também.

É recomendável também limpar e desinfetar superfícies e itens de “alto contato” todos os dias. Superfícies como mesas, maçanetas, interruptores de luz, maçanetas, mesas, banheiros, torneiras, pias e eletrônicos.

Para mais segurança o recomendável é limpar as áreas e itens com água e sabão e, em seguida, usar um desinfetante doméstico.

6. Consuma alimentos saudáveis

Converse com seu médico sobre se você deve ingerir algum suplemento.

No entanto, o que é muito mais importante é ter uma dieta saudável e evitar o ganho de peso. Aumento de peso que pode acontecer, especialmente neste período de estresse e incerteza que vivemos.
Sabemos que certas condições de saúde predispõem o indivíduo a complicações da COVID-19.
Muitas dessas condições de saúde podem ser tratadas através de mudanças no estilo de vida.

Adultos com certas condições médicas subjacentes apresentam risco aumentado para a COVID-19 grave, hospitalização, admissões em UTI, intubação ou ventilação mecânica e morte.

Condições relacionadas à dieta que aumentam o risco para doenças graves incluem:

  • Problemas de coração;
  • Obesidade (IMC de 30 kg / m² ou superior, mas <40 kg / m²);
  • Obesidade grave (IMC ≥40 kg / m²);
  • Diabetes mellitus não insulino-dependente.

Ter uma dieta saudável torna o corpo metabolicamente muito mais saudável e isso pode fazer toda a diferença.

7. Fuja das fake news

Embora seja tentador ouvir o que seus amigos, familiares e pessoas nas redes sociais dizem, dê ouvidos apenas fontes confiáveis. Fontes apoiadas por especialistas quando se trata de informações e recomendações da COVID-19.

Há muita desinformação nas redes sociais e na Internet que recomendam de tudo.
Desde medicamentos variados a vitaminas que supostamente teriam uma ação protetora contra a COVID-19.
A maioria dessas sugestões não tem comprovação científica e algumas podem até ser perigosas.

Não existe tratamento preventivo cientificamente comprovado contra a COVID-19.

Procure fontes, como seu médico de atenção primária ou a World Health Organization, por exemplo.

8. Converse com um amigo

Amigos e familiares podem ser ótimos para expressar seus sentimentos em momentos difíceis.

Se você tem um familiar que testou positivo para a COVID-19 é natural sentir uma variedade de emoções.
Emoções como o medo, ansiedade, depressão e solidão, que podem ser profundas e debilitantes.

Falar e expressar esses sentimentos a um amigo ou parente pode ser muito bom.
E pode também melhorar o seu bem-estar físico e emocional.

A COVID-19 é uma doença que pode ter consequências graves para alguns pacientes. É uma doença que pode afetar vários sistemas, com implicações até mesmo para problemas odontológicos.

Siga a Dentalis no Instagram @DentalisSoftware, no Face @Dentalis.Software e no twitter @Dentalisnet

Fontes: GuidelinesCDCEPACoronavirus DiseaseWorld Health Organization

Sugestões de leitura

Aparelho de cerâmica

Aparelhos de cerâmica: Prós e Contras

Os aparelhos cerâmicos realinham, ajustam e endireitam os dentes da mesma forma que os aparelhos metálicos tradicionais.  No entanto, os aparelhos cerâmicos têm...

Patógeno da periodontite e a conexão com a doença de Alzheimer

Um estudo investigando o papel do Treponema denticola (T. denticola) na patogênese da doença de Alzheimer foi apresentado por Zhiqun Tang do Hospital...

Esclerose múltipla e extrações dentárias

A esclerose múltipla costuma causar fadiga extrema e dificuldades físicas que podem tornar desafiador ao paciente cuidar de sua saúde bucal. Como resultado,...

Mais eficientes na redução da placa e da inflamação gengival

Novo estudo com pacientes com periodontite revela que escovas interdentais e palhetas interdentais de borracha são mais eficientes na redução da placa e...

Crianças com aftas, o que fazer?

As aftas geralmente são úlceras rasas, brancas, cinzas ou amareladas com borda vermelha que podem durar até duas semanas. Algumas pessoas as confundem...

Diabetes pode enfraquecer os dentes e favorecer a cárie dentária

Diabetes, enfraquecimento dos dentes e cáries Pessoas com diabetes tipo 1 e tipo 2 são propensas a cáries dentárias, e um novo estudo...

Que tal você se juntar aos nossos clientes e se tornar um case de sucesso também?