Deixe seus dados para receber mais conteúdo no futuro

    Você toparia ter uma teleconsulta com um dentista para um atendimento inicial? SimNão

    Problemas bucais causados pelo vírus HIV

    O vírus HIV e os problemas bucais por ele provocados

    O vírus HIV ataca o sistema imunológico, levando a uma ampla gama de sintomas. O vírus pode afetar todas as partes do corpo, incluindo a pele e os sistemas nervoso, respiratório e digestivo.

    Também aumenta a probabilidade para o desenvolvimento de problemas de saúde bucal.

    O National Institute of Dental and Craniofacial Research dos EUA afirma que as pessoas que vivem com HIV estão “sob risco especial de problemas de saúde bucal”.

    Evidências sugerem que cerca de 30–80% das pessoas que vivem com HIV apresentam complicações orais associadas.

    Os sintomas do HIV variam conforme o estágio da doença.

    São três estágios da infecção por HIV:

    • Estágio 1: infecção aguda por HIV
    • Estágio 2: infecção crônica por HIV
    • Estágio 3: AIDS

    Os sintomas orais, como úlceras bucais, costumam ocorrer durante a fase aguda.

    Como resultado, eles podem ser um sinal precoce do HIV.

    Os sintomas orais também podem ser importantes para fins de monitoramento confiável do HIV à AIDS.

    Os sintomas orais do HIV podem afetar a língua de várias maneiras, cada uma delas exigindo tratamentos distintos.

    Neste artigo, examinamos os principais sintomas do HIV que podem afetar a língua e as possíveis opções de tratamento.

    Também discutimos como reduzir o risco de complicações orais e explicamos porque o vírus não se espalha através do beijo.

    Como o HIV afeta a língua

    O HIV pode afetar indiretamente a língua provocando vários problemas de saúde bucal, como, por exemplo:

    • Candidíase;
    • Leucoplasia peluda;
    • Herpes oral;
    • Hiperpigmentação;
    • Verruga;
    • Candidíase oral.

    A candidíase oral, ou sapinho, é uma infecção fúngica que pode se desenvolver em qualquer parte da boca.

    Apresenta-se como manchas acidentadas que podem ser amarelas, brancas ou vermelhas e podem causar uma sensação de queimação. Pessoas com candidíase oral podem experimentar alterações no paladar e sua sensibilidade a especiarias pode aumentar.

    Se a infecção for leve, podem ser prescritos antifúngicos orais e/ou enxaguante bucal. Os antifúngicos orais se destinam a infecções mais graves.

    Leucoplasia peluda

    É uma condição caracterizada por manchas brancas irregulares no lado da língua e, ocasionalmente, em outras partes da língua ou boca.

    São manchas espessas que tendem a aparecer nas laterais da língua e se assemelham a cristas ou dobras.

    Embora geralmente não seja dolorosa, seu crescimento pode causar desconforto. As manchas de leucoplasia peluda podem se parecer com as do sapinho. No entanto, as manchas de leucoplasia peluda não podem ser removidas (limpas), diferentemente daquelas resultantes da candidíase oral (sapinhos).

    O tratamento nem sempre é necessário se os sintomas de leucoplasia pilosa forem leves

    Herpes oral

    Pessoas com HIV têm maior probabilidade do que as demais de desenvolver herpes oral, pois o vírus enfraquece o sistema imunológico.

    Infecções por herpes oral geram o aparecimento de feridas e bolhas vermelhas dentro e ao redor da boca. Nem sempre são dolorosas, mas costumam causar uma sensação de formigamento ou queimação.

    Ao contrário do sapinho e da leucoplasia peluda, o herpes oral é contagioso e pode se transmitir por meio do contato boca a boca, por exemplo, através do beijo.

    Atualmente não há cura para o herpes, mas a medicação antiviral pode ser prescrita para amenizar a frequência e a gravidade dos sintomas orais.

    Verrugas orais

    As verrugas orais se desenvolvem como pequenas saliências na boca. Elas podem se apresentar nas cores rosa, branco ou cinza. Assim como o herpes oral, também podem se espalhar através do beijo.

    Para verrugas nos lábios cremes podem ser prescritos. Já aquelas lesões que se desenvolvem na boca podem requerer cirurgia ou criocirurgia.

    Cuidados preventivos

    São muitas as medidas que podem ser adotadas para a prevenção da infecção pelo vírus HIV:

    • Prática de sexo usando métodos de barreira, como uso de preservativo (masculino ou feminino);
    • Abster-se da prática de sexo;
    • Evitar o compartilhamento de agulha/seringas;
    • Uso de medicação de prevenção do HIV, como profilaxia pré-exposição (PrEP.), para aqueles com risco aumentado.

    Complicações orais provocadas pelo HIV podem ser prevenidas pela adoção das seguintes práticas

    • Comparecer a consultas odontológicas regularmente;
    • Escovar os dentes sempre após as refeições (por pelo menos 2 minutos) e usar o fio dental com a mesma regularidade;
    • Seguir à risca o tratamento anti-Aids tomando medicação para HIV regularmente.

    Além das complicações orais acima, um indivíduo com HIV pode apresentar sintomas de boca seca cronicamente. Isso pode levar a outros problemas, incluindo infecção e cárie dental. Para evitar essa condição é fundamental melhorar a hidratação oral. Para tanto, é recomendável:

    • Beber água regularmente e em boas quantidades;
    • Evitar o sal em excesso;
    • Evitar bebidas alcoólicas;
    • Abster-se de fumar;
    • Mascar chicletes sem açúcar;
    • Recorrer à saliva artificial em casos mais sérios.

    O HIV pode ser transmitido pelo beijo

    É extremamente improvável que o HIV seja transmitido através do beijo, pois o vírus não é transmissível através da saliva.

    No entanto, é possível haver contaminação caso ambos os parceiros apresentem feridas abertas na boca, pois isso pode permitir que o sangue infectado de uma pessoa entre na corrente sanguínea da outra.

    O HIV pode ser transmitido através do sexo oral

    O risco de transmissão do HIV através do sexo oral é pequeno.

    No entanto, isso pode acontecer se os fluidos corporais de uma pessoa com HIV entrarem na corrente sanguínea da outra pessoa através de uma ferida aberta na boca. A transmissão também pode ser possível se alguém com carga viral detectável ejacular na boca de um parceiro sexual.
    Portanto, é aconselhável que as pessoas usem proteção de barreira, como preservativos, durante a atividade sexual.

    Outras complicações bucais

    Pessoas com HIV podem desenvolver outras condições que levam a complicações bucais, dentre elas:

    A razão para isso é que o HIV enfraquece o sistema imunológico, dificultando para o corpo a luta contra infecções de outra natureza.

    Resumindo

    O HIV pode desencadear uma ampla gama de sintomas que afetam todas as partes do corpo. Os sintomas orais, que frequentemente ocorrem durante o primeiro estágio do vírus, podem afetar a língua.

    O HIV diminui a resposta imunológica, de modo que um indivíduo com o vírus se torna mais suscetível a novas infecções. Como resultado, as pessoas com HIV frequentemente desenvolvem outras complicações, incluindo doenças como o herpes oral.

    Há pouca chance de o HIV se espalhar através do beijo.

    O vírus é transmitido quando o sangue, o leite materno, a secreção vaginal ou o sêmen da pessoa com a infecção entram na corrente sanguínea de outra pessoa.

    Portanto, ambos os parceiros teriam que ter feridas na boca para o vírus se espalhar através do beijo.

    Siga a Dentalis no Instagram @DentalisSoftware,  no Facebook @Dentalis.Software e no twitter @Dentalisnet

    Fonte: HIV/AIDS & Oral HealthAmerican Dental AssociationLeucoplasia peludaHerpes simplex virusPigmentação oral 

    Deixe seus dados para receber mais conteúdo no futuro

      Você toparia ter uma teleconsulta com um dentista para um atendimento inicial? SimNão

      Sugestões de leitura

      Hipersensibilidade dental

      Hipersensibilidade dental: como prevenir e aliviar

      Conheça dicas práticas do que você pode fazer para prevenir e aliviar a desagradável hipersensibilidade dental

      Síndrome da Boca Ardente: nova esperança para o alívio

      Você sente uma sensação crônica de queimação na boca sem causa aparente? Nesse caso, você pode ser uma das muitas pessoas que sofrem...

      A Influência do DNA na Saúde Bucal

      Conheça o papel da genética sobre a saúde bucal. Será que apenas a genética pode garantir uma boa saúde dos dentes e gengivas?...

      Tártaro: o vilão silencioso da sua saúde bucal

      Dentes limpos não significam necessariamente dentes saudáveis. O tártaro, também conhecido como placa bacteriana, é uma camada pegajosa que se acumula nos dentes...

      Quando levar seu bebê no dentista pela primeira vez?

      A chegada do primeiro dentinho do bebê é um marco emocionante. Mas você sabia que esse momento também marca o início de uma...

      A Raiz do Mau Hálito: A Ciência Revela

      Ciência revela a origem do mau hálito e sua associação com as bactérias da flora bucal. Saiba como prevenir e tratar o mau...