Deixe seus dados para receber mais conteúdo no futuro

    Você toparia ter uma teleconsulta com um dentista para um atendimento inicial? SimNão

    Antibióticos e problemas cardíacos: pode ter relação?

    Uma ligação entre uma classe de antibióticos e problemas cardíacos foi descoberta por pesquisadores.

    É o que aponta um estudo recente publicado no Journal of American College of Cardiology.
    É resultado do trabalho de pesquisadores da Universidade da Colúmbia Britânica (UBC). Em parceria com a Unidade de Avaliação Terapêutica da Provincial Health Services Authority (PHSA) ,
    Eles descobriram um grave problema com os usuários atuais de antibióticos da classe da fluoroquinolona, como a Ciprofloxacina. Eles apresentam um risco 2,4 vezes maior de desenvolver regurgitação aórtica e mitral , onde o sangue flui para o coração. Isso em comparação com pacientes que tomam amoxicilina , um tipo diferente de antibiótico. O maior risco se estende pelo período de 30 dias após o uso .

    Estudos recentes também associaram a mesma classe de antibióticos a problemas cardíacos outros .

    Alguns profissionais da saúde preferem as fluoroquinolonas a outros antibióticos . Isso devido ao seu amplo espectro de atividade antibacteriana . E também pela sua alta absorção oral , que é tão eficaz quanto o tratamento endovenoso.

    Classe de antibióticos e problemas cardíacos

    Essa classe de antibióticos é muito conveniente (1 comprimido/dia). Mas para infecções comunitárias não são realmente necessárias. A prescrição inadequada pode causar resistência a antibióticos e também problemas cardíacos graves.

    Os pesquisadores esperam que o estudo ajude a alertar os profissionais de saúde para a gravidade dessa descoberta. Isso quando do surgimento de problemas cardíacos em pacientes sem nenhuma outra origem estabelecida . Os antibióticos da classe das fluoroquinolonas podem ser a causa em potencial .

    Um dos principais objetivos da Unidade de Avaliação Terapêutica é avaliar diferentes medicamentos e tecnologias de saúde. Isso para determinar se eles melhoram a qualidade dos cuidados prestados pelos programas ou melhoram os resultados dos pacientes. É o que afirma um dos chefes da equipe de pesquisa.

    Importância do cuidado na prescrição de antibióticos

    Este estudo destaca o grande cuidado que se deve ter ao se prescrever antibióticos .
    Especialmente a partir de agora que foi estabelecido um elo entre uma classe de antibióticos e problemas cardíacos graves.

    O estudo

    Nesse estudo os cientistas analisaram dados do sistema de relatórios adversos da Food and Drug Administration dos EUA.
    Eles também analisaram um enorme banco de dados de saúde de seguros privados nos EUA. Foram catalogados dados demográficos, identificação de medicamentos, dose prescrita e duração do tratamento.

    Os pesquisadores identificaram 12.505 casos de insuficiência valvar com 125.020 indivíduos controle caso em uma amostra aleatória de mais de nove milhões de pacientes. Eles definiram a exposição atual à fluoroquinolona como uma prescrição ativa ou 30 dias antes do evento adverso. A exposição recente nos dias 31 a 60 dias. E a exposição passada nos 61 a 365 dias antes de um incidente.
    Os cientistas compararam o uso de fluoroquinolona com amoxicilina e azitromicina.

    Os resultados

    Os resultados mostraram que o risco de regurgitação aórtica e mitral, refluxo sanguíneo no coração, é maior com o uso atual, seguido pelo uso recente. Eles não viram aumento do risco de regurgitação aórtica e mitral com uso passado.

    Novos estudos são aguardados

    Se novos estudos vierem a confirmar a conexão entre essa classe de antibióticos e problemas cardíacos, providências terão de ser tomadas .
    Alertas deverão então ser adicionados ao risco do aparecimento de regurgitação aórtica e mitral .
    Nesses casos, os profissionais de saúde serão recomendados a optar por outros antibióticos.
    Ou seja, outras classes de antibióticos como primeira linha de defesa para infecções não complicadas.

    Já sabíamos que infecções odontogênicas aumentam o risco de doenças cardíacas.
    Agora também surge o fantasma do risco atrelado a uma classe de antibióticos e problemas cardíacos decorrentes de seu uso.

    Assim que obtivermos acesso a novos dados científicos relacionado a esse tema, estaremos divulgando a todos aqui no blog Dentalis.

    Fonte: ScienceDaily

    Deixe seus dados para receber mais conteúdo no futuro

      Você toparia ter uma teleconsulta com um dentista para um atendimento inicial? SimNão

      Sugestões de leitura

      Periodontite e o Risco de AVC em Pessoas com Menos de 50 anos

      A periodontite, uma inflamação das estruturas que sustentam nossos dentes, pode aumentar muito o risco de AVC (derrame cerebral) em pessoas com menos...

      Alerta para os riscos do Xilitol – Novo Estudo

      Um recente estudo, publicado no European Heart Journal, revelou uma ligação preocupante entre o consumo de xilitol, um adoçante de baixas calorias, e...

      Câncer bucal: o dentista pode ser o primeiro a detectar

      Quando vamos ao dentista, geralmente buscamos resolver um problema dental que esteja nos incomodando, obter uma limpeza dental ou melhorar a estética dos...

      Infecções Bucais: Causas, Sintomas e Tratamentos

      Infecções na boca podem ser bem incômodas e causar preocupação, tornando tarefas do dia a dia, como comer ou escovar os dentes, mais...

      Novo Medicamento pode Regenerar Dentes Perdidos

      Os cientistas vêm obtendo progresso no desenvolvimento de um novo medicamento que pode ajudar a regenerar os dentes. Sim, regenerar os dentes. O...

      Periodontite pode aumentar risco de morte, revela estudo

      Uma pesquisa recente acendeu um alerta vermelho ao revelar uma forte conexão entre a periodontite e o risco de morte por diversas causas.O...