Descoberto um marcador de risco para o desenvolvimento de câncer

Com o objetivo de examinar a incidência de câncer em uma coorte de pacientes com trombocitose e determinar quão clinicamente útil este marcador de risco pode ser na previsão de uma malignidade subjacente, foi realizado um estudo de coorte prospectivo, utilizando dados do Clinical Practice Research Datalink, de 2000 a 2013, publicado pelo periódico British Journal of General Practice.

A incidência de câncer em um ano foi comparada entre duas coortes: 40.000 pacientes com ≥40 anos de idade, com contagem de plaquetas >400×109/L (trombocitose) e 10.000 pacientes com uma contagem de plaquetas normal. As subanálises avaliaram o risco com a mudança na contagem de plaquetas, sexo, idade e diferentes localizações do câncer.

Um total de 1.098 de 9.435 homens com trombocitose foi diagnosticado com câncer (11,6%; intervalo de confiança de 95% [IC]=11,0 a 12,3), em comparação com 106 de 2.599 homens sem trombocitose (4,1%; IC 95%=3,4 a 4,9). Um total de 1.355 de 21.826 mulheres com trombocitose desenvolveu câncer (6,2%; IC 95%=5,9 a 6,5), comparado com 119 de 5.370 mulheres sem trombocitose (2,2%; IC 95%=1,8 a 2,6).

Correlação aumento de plaquetas vs câncer

O risco de câncer aumentou para 18,1% (IC 95%=15,9 a 20,5) para os homens e 10,1% (IC 95%=9,0 a 11,3) para as mulheres, quando uma segunda contagem de plaquetas foi registrada dentro de seis meses. Câncer de pulmão e câncer colorretal foram mais comumente diagnosticados juntamente com a trombocitose. Um terço dos pacientes com trombocitose e câncer de pulmão ou câncer colorretal não apresentou outros sintomas indicativos de malignidade.

Concluiu-se que a trombocitose é um marcador de risco de câncer em adultos. Os valores de 11,6% e 6,2% de incidência de câncer em homens e mulheres, respectivamente, são dignos de investigação adicional para uma malignidade subjacente. Esses números superam o limite de risco estabelecido pelo National Institute for Health and Care Excellence – 3% de risco para justificar o encaminhamento para suspeita de câncer.

Sugestões de leitura

Aparelho de cerâmica

Aparelhos de cerâmica: Prós e Contras

Os aparelhos cerâmicos realinham, ajustam e endireitam os dentes da mesma forma que os aparelhos metálicos tradicionais.  No entanto, os aparelhos cerâmicos têm...

Patógeno da periodontite e a conexão com a doença de Alzheimer

Um estudo investigando o papel do Treponema denticola (T. denticola) na patogênese da doença de Alzheimer foi apresentado por Zhiqun Tang do Hospital...

Esclerose múltipla e extrações dentárias

A esclerose múltipla costuma causar fadiga extrema e dificuldades físicas que podem tornar desafiador ao paciente cuidar de sua saúde bucal. Como resultado,...

Mais eficientes na redução da placa e da inflamação gengival

Novo estudo com pacientes com periodontite revela que escovas interdentais e palhetas interdentais de borracha são mais eficientes na redução da placa e...

Crianças com aftas, o que fazer?

As aftas geralmente são úlceras rasas, brancas, cinzas ou amareladas com borda vermelha que podem durar até duas semanas. Algumas pessoas as confundem...

Diabetes pode enfraquecer os dentes e favorecer a cárie dentária

Diabetes, enfraquecimento dos dentes e cáries Pessoas com diabetes tipo 1 e tipo 2 são propensas a cáries dentárias, e um novo estudo...

Que tal você se juntar aos nossos clientes e se tornar um case de sucesso também?