Micróbios da língua e a insuficiência cardíaca

Estudos anteriores mostraram que micróbios da língua poderiam distinguir pacientes com câncer de pâncreas de pessoas saudáveis . Porém, ainda é cedo para que isso venha a ser utilizado como ferramenta de diagnóstico do câncer de pâncreas.

Existem microrganismos específicos que estão conectados à imunidade. A partir disso, os cientistas propuseram que o desequilíbrio microbiano poderia estimular a inflamação e a doença cardíaca .

Inflamação e a resposta imune também assumem um papel na insuficiência cardíaca.

Um novo estudo apresentado recentemente no HFA Discoveries sugere que os micróbios da língua fornecem uma janela para a saúde do coração . Este estudo investigou a composição do microbioma da língua em participantes com e sem insuficiência cardíaca crônica.

Micróbios da língua – o estudo

O estudo envolveu 42 pacientes com insuficiência cardíaca crônica e 28 controles saudáveis .
Nenhum participante apresentou doença bucal, lingual ou odontológica / sofreu uma infecção do trato respiratório superior na última semana / usou antibióticos e imunossupressores na última semana / ou estava grávida ou amamentando.

Colheres de aço inoxidável foram usadas para colher amostras do revestimento da língua pela manhã, antes de os participantes terem escovado os dentes ou tomado o café da manhã.

Os cientistas usaram uma técnica chamada sequenciamento do gene 16S rRNA para identificar bactérias nas amostras. Eles reconheceram que pacientes com insuficiência cardíaca compartilhavam os mesmos categorias de micróbios da língua. Pessoas saudáveis também compartilhavam os mesmos microrganismos.
Não houve sobreposição no conteúdo bacteriano entre os dois grupos.

No nível de gênero, cinco categorias de bactérias distinguiram pacientes com insuficiência cardíaca de pessoas saudáveis com uma área sob a curva (AUC) de 0,84, onde 1,0 é uma previsão 100% precisa e 0,5 é um achado aleatório.

Além disso, houve uma tendência de queda nos níveis de Eubacterium e Solobacterium com insuficiência cardíaca cada vez mais avançada.

Avaliando resultados – conclusão

As línguas dos pacientes com insuficiência cardíaca crônica parecem diferentes das de pessoas saudáveis.
As línguas normais são vermelho pálido com um revestimento branco pálido.

Pacientes com insuficiência cardíaca têm uma língua mais vermelha com um revestimento amarelo . A aparência muda à medida que a doença se torna mais avançada .

São necessárias obviamente mais pesquisas. Porém, os resultados atuais sugerem que os micróbios da língua podem auxiliar numa triagem em larga escala . E também no diagnóstico e no monitoramento a longo prazo da insuficiência cardíaca .

Os mecanismos subjacentes que ligam micróbios da língua à função cardíaca merecem um estudo mais aprofundado.

Siga a Dentalis no Instagram @ DentalisSoftware , no Face @ Dentalis.Software e no Twitter @ Dentalisnet

Fonte: HFA Discoveries

Sugestões de leitura

Aparelho de cerâmica

Aparelhos de cerâmica: Prós e Contras

Os aparelhos cerâmicos realinham, ajustam e endireitam os dentes da mesma forma que os aparelhos metálicos tradicionais.  No entanto, os aparelhos cerâmicos têm...

Patógeno da periodontite e a conexão com a doença de Alzheimer

Um estudo investigando o papel do Treponema denticola (T. denticola) na patogênese da doença de Alzheimer foi apresentado por Zhiqun Tang do Hospital...

Esclerose múltipla e extrações dentárias

A esclerose múltipla costuma causar fadiga extrema e dificuldades físicas que podem tornar desafiador ao paciente cuidar de sua saúde bucal. Como resultado,...

Mais eficientes na redução da placa e da inflamação gengival

Novo estudo com pacientes com periodontite revela que escovas interdentais e palhetas interdentais de borracha são mais eficientes na redução da placa e...

Crianças com aftas, o que fazer?

As aftas geralmente são úlceras rasas, brancas, cinzas ou amareladas com borda vermelha que podem durar até duas semanas. Algumas pessoas as confundem...

Diabetes pode enfraquecer os dentes e favorecer a cárie dentária

Diabetes, enfraquecimento dos dentes e cáries Pessoas com diabetes tipo 1 e tipo 2 são propensas a cáries dentárias, e um novo estudo...

Que tal você se juntar aos nossos clientes e se tornar um case de sucesso também?