Novas evidências confirmam ligação entre doença gengival e cardiopatias

Doença gengival e cardiopatias

Uma nova pesquisa oferece mais evidências de uma ligação entre doenças gengivais e cardiopatias.

 

O estudo sueco em andamento observou anteriormente que a doença gengival (“periodontite”) era muito mais comum em pacientes vitimadas por ataque cardíaco pela primeira vez do que em comparação a um grupo de pessoas saudáveis.

Neste estudo de acompanhamento, os pesquisadores investigaram se a doença gengival se mostrava associada a um risco aumentado de novos eventos cardiovasculares em sobreviventes de ataque cardíaco e pessoas saudáveis ​​da mesma idade e sexo, e que vivem na mesma área (grupo controle).
Periodontite — aumenta risco de eventos cardíaco

“O risco de sofrer um evento cardiovascular durante o acompanhamento foi maior em participantes com periodontite, aumentando em paralelo com a sua gravidade. Isso foi particularmente aparente em pacientes que já haviam experimentado um ataque cardíaco”, afirmou a autora do estudo Giulia Ferrannini do Instituto Karolinska em Estocolmo.

Os pesquisadores suspeitam que o dano tecidual em pessoas com doença gengival possibilita que as bactérias entrem na corrente sanguínea. “Isso pode acelerar mudanças prejudiciais aos vasos sanguíneos e / ou aumentar a inflamação sistêmica que é prejudicial aos vasos”, acrescentou Ferrannini.

Número expressivo de participantes da pesquisa

No total, o estudo incluiu cerca de 1.600 participantes com idade média de 62 anos. Os exames odontológicos entre 2010 e 2014 mostraram que 985 tinham boa saúde bucal, 489 tinham periodontite moderada e 113 tinham periodontite grave.

Durante um acompanhamento médio de pouco mais de seis anos, as pessoas com doenças gengivais tinham 49% mais probabilidade de morrer por qualquer causa, ter um ataque cardíaco não fatal ou derrame, ou desenvolver insuficiência cardíaca grave.

O risco desses resultados aumentou com a gravidade da doença gengiva, conforme o estudo apresentado sexta-feira em um encontro virtual da Sociedade Europeia de Cardiologia. Essa pesquisa é considerada preliminar até ser publicada em um periódico com revisão por pares.

Quando avaliada separadamente, a relação entre a gravidade da doença gengival e o risco de resultados negativos foi significativa apenas para aqueles que tiveram um ataque cardíaco no passado.

O que o estudo sugere

“Nosso estudo sugere que os programas de triagem odontológica, incluindo check-ups regulares e educação sobre higiene dental adequada, podem ajudar a prevenir os primeiros eventos cardíacos e os subsequentes”, concluiu Ferrannini em um comunicado à imprensa.

Siga a Dentalis no Instagram @DentalisSoftware, no Facebook @Dentalis.Software, e no twitter @Dentalisnet

Fontes: Gum disease linked with new onset heart diseaseInflammation: the Link Between Gum Disease and Cardiovascular Disease

Sugestões de leitura

Aparelho de cerâmica

Aparelhos de cerâmica: Prós e Contras

Os aparelhos cerâmicos realinham, ajustam e endireitam os dentes da mesma forma que os aparelhos metálicos tradicionais.  No entanto, os aparelhos cerâmicos têm...

Patógeno da periodontite e a conexão com a doença de Alzheimer

Um estudo investigando o papel do Treponema denticola (T. denticola) na patogênese da doença de Alzheimer foi apresentado por Zhiqun Tang do Hospital...

Esclerose múltipla e extrações dentárias

A esclerose múltipla costuma causar fadiga extrema e dificuldades físicas que podem tornar desafiador ao paciente cuidar de sua saúde bucal. Como resultado,...

Mais eficientes na redução da placa e da inflamação gengival

Novo estudo com pacientes com periodontite revela que escovas interdentais e palhetas interdentais de borracha são mais eficientes na redução da placa e...

Crianças com aftas, o que fazer?

As aftas geralmente são úlceras rasas, brancas, cinzas ou amareladas com borda vermelha que podem durar até duas semanas. Algumas pessoas as confundem...

Diabetes pode enfraquecer os dentes e favorecer a cárie dentária

Diabetes, enfraquecimento dos dentes e cáries Pessoas com diabetes tipo 1 e tipo 2 são propensas a cáries dentárias, e um novo estudo...

Que tal você se juntar aos nossos clientes e se tornar um case de sucesso também?