Conheça como o Dentalis pode ajudar o seu consultório

O que mais afeta a duração das restaurações dentais?

Artigo recente visa responder a esta pergunta: o que mais afeta a duração das restaurações dentais?

O material mais utilizado para restaurações diretas em odontologia permite o uso de técnicas restaurativas aditivas e procedimentos minimamente invasivos.

Questões fundamentais sobre o desempenho clínico de restaurações de resina composta e suas falhas são relevantes para a saúde bucal, mas ainda são inconclusivas por dependerem de uma série de variáveis.

Especialmente nas últimas décadas, tornou-se claro que não apenas a qualidade dos materiais restauradores e suas técnicas de aplicação, mas também outros fatores desempenham um papel importante em sua longevidade.

Revisão em bancos de dados no período de 10 anos

Isso é explicado por um artigo publicado na Dental Materials, que descreve uma revisão sistemática em bancos de dados de estudos clínicos longitudinais publicados entre 2011 e 2021 sobre os fatores que afetam a longevidade das restaurações à base de resina composta.

No total, 33 artigos com diferentes desenhos de estudo, configurações de prática, conjuntos de dados, países de origem e tamanhos de amostra foram incluídos e sua revisão relatou uma ampla gama de taxas anuais de falha (0,08%-6,3%), taxas de sobrevivência (23,0%- 97,7%) e taxas de sucesso (43,4%-98,7%).

Os principais motivos secundários de insucesso foram cáries, fraturas e comprometimento estético, mas fatores relacionados ao paciente, ao dentista e às condições específicas do dente restaurado também influenciaram.

Sucesso ou fracasso: o que de fato influencia a duração das restaurações dentais

Que existem muitos fatores importantes que influenciam o sucesso ou o fracasso é algo que, afirma o estudo, todos os profissionais de odontologia que trabalharam com esses materiais sabem.

O fato de muitos estudos concluírem que restaurações de resina composta maiores são mais propensas a falhas também não surpreende.

O que os autores da revisão acham interessante é que a maioria dos estudos revisados não encontrou diferenças significativas na durabilidade das restaurações baseadas em diferentes tipos de materiais.

Esses resultados sugerem que o desenvolvimento de compósitos à base de resina chegou a um ponto em que quase não importa qual material o dentista escolhe, pois, outros fatores são mais importantes para a longevidade.

Portanto, a escolha do material pode ser baseada em outros aspectos, como preço, facilidade de uso e técnica preferida.

Os resultados considerando outras variáveis, como tipo de dente, posição e aspectos pessoais do paciente, acrescentam, são interessantes, mas não conclusivos e requerem mais investigação.

Quais fatores mais influenciam a longevidade das restaurações dentais?

Os autores da revisão concluem que a literatura contemporânea mostra que vários fatores de risco estão envolvidos na longevidade das restaurações diretas de resina composta.

E como principais conclusões destacam que:

  • As diferenças entre os compósitos desempenham um papel menor na durabilidade, desde que os dentistas manipulem e apliquem corretamente os materiais com as técnicas atuais;

  • Fatores de risco relacionados ao paciente, especialmente aqueles associados ao estilo de vida e escolhas de saúde, desempenham um papel importante na longevidade da restauração;

  • Os profissionais devem tratar os pacientes de forma holística para poderem identificar e planejar intervenções de acordo com suas características e condição de risco, promovendo assim um estilo de vida saudável, sendo os pacientes informados sobre isso;

  • O diagnóstico de restaurações envelhecidas ou falhadas e o processo de tomada de decisão implementado pelos dentistas e todo o contexto de cuidados de saúde bucal podem ser determinantes para a longevidade das restaurações dentais.

Siga a Dentalis no Instagram @DentalisSoftware, no Facebook @Dentalis. Software, e no Twitter @Dentalisnet

Fontes: Flávio Fernando Demarco, Maximiliano Sergio Cenci, Anelise Fernandes Montagner, Verônica Pereira de Lima, Marcos Britto Correa, Rafael R. Moraes, Niek J.M. Opdam. Longevity of composite restorations is definitely not only about materials. Dental Materials. Volume 39, Issue 1, 2023, Pages 1-12, ISSN 0109-5641, Factores que influyen en la longevidad de las restauraciones de composite

Conheça como o Dentalis pode ajudar o seu consultório

Sugestões de leitura

Diabetes e doença gengival – a conexão

Estudos recentes reforçam a constatação de que diabetes e doença periodontal, como periodontite, estão diretamente ligados.

Câncer de cabeça e pescoço: detecção por teste de urina

Novo e revolucionário teste de urina que possibilita a detecção precoce de fragmentos de DNA característicos de células cancerígenas

Fio ou fita dental: qual é a melhor para sua higiene dental?

Fio ou fita dental são essenciais à rotina diária de limpeza dos dentes. Mas afinal, qual devo escolher? Qual é melhor para você?

Remédios para asma podem em maior ou menor grau trazerem problemas à sua saúde bucal. Saiba o que fazer e como evitar que isso aconteça.

Remédios para asma podem fazer mal à saúde bucal?

Remédios para asma podem em maior ou menor grau trazerem problemas à sua saúde bucal. Saiba o que fazer e como evitar que...

As impressoras 3D estão revolucionando a odontologia. Conheça suas aplicações e os benefícios para dentistas e pacientes.

Impressoras 3D na odontologia: uma revolução em curso

As impressoras 3D estão revolucionando a odontologia. Conheça suas aplicações e os benefícios para dentistas e pacientes.

Cientistas desenvolvem um novo teste para detecção precoce do câncer oral que não requer o uso de biópsias.

Detecção do câncer oral – novo método

Hoje quero compartilhar com vocês uma descoberta incrível na área da odontologia.Vocês sabiam que o câncer oral representa cerca de 90% dos casos...