O uso de anestésicos locais para gestantes na Odontologia é seguro?

Em adição a escovação e uso do fio dental regularmente, a visita ao dentista pelo menos duas vezes por ano, é geralmente recomendada, especialmente para as gestantes. No entanto, tratamentos odontológicos que envolvem anestesia geralmente são uma área de preocupação para as mulheres e os prestadores de cuidados de saúde. Agora, um estudo forneceu evidências adicionais que os anestésicos odontológicos locais e tratamento dentário durante a gravidez não estão associados a um aumento do risco de grandes problemas médicos.

A fim de avaliar a taxa de complicação de exposição aos anestésicos locais como parte dos cuidados odontológicos durante a gravidez, os autores realizaram um estudo prospectivo, um estudo observacional comparativo no Israeli Teratology Information Services entre 1999 e 2005. O estudo incluiu 210 mulheres grávidas que receberam anestésicos dentais locais durante tratamento endodôntico (43 por cento), extração de dente (31 por cento) e restauração de dente (21 por cento), e um grupo controle de 794 mulheres grávidas.

Eles descobriram que a exposição aos cuidados odontológicos e anestésicos locais durante a gravidez não foi associada com um risco aumentado de problemas médicos, incluindo paralisia cerebral, lábio leporino e cardiopatias em recém-nascidos. Além disso, a taxa de abortamento, parto prematuro ou peso de nascimento não diferiram significativamente entre os dois grupos de estudo.

O autor líder Dr. Aharon Hagai concluiu, “Dentistas e médicos devem incentivar as gestantes a manter sua saúde bucal, continuando a receber atendimento odontológico de rotina e a busca de tratamento quando surgem problemas”.

Durante a gravidez, as alterações hormonais podem afetar o microbioma oral, o que pode conduzir a um aumento do risco de cárie dentária e gengivite em mulheres grávidas. Além disso, as mulheres podem encontrar dificuldades em escovar os dentes pela manhã devido a enjoos matinais, reflexo de vômito e maior sangramento gengival. Ácido estomacal de vômitos frequentes podem também afetar negativamente o esmalte do dente.

O estudo, intitulado “Resultado da gravidez após a exposição in útero ao anestésico local como parte do tratamento odontológico: Um estudo prospectivo comparativo de coorte “, foi publicado na edição de agosto do Journal of the American Dental Association.

Sugestões de leitura

Aparelho de cerâmica

Aparelhos de cerâmica: Prós e Contras

Os aparelhos cerâmicos realinham, ajustam e endireitam os dentes da mesma forma que os aparelhos metálicos tradicionais.  No entanto, os aparelhos cerâmicos têm...

Patógeno da periodontite e a conexão com a doença de Alzheimer

Um estudo investigando o papel do Treponema denticola (T. denticola) na patogênese da doença de Alzheimer foi apresentado por Zhiqun Tang do Hospital...

Esclerose múltipla e extrações dentárias

A esclerose múltipla costuma causar fadiga extrema e dificuldades físicas que podem tornar desafiador ao paciente cuidar de sua saúde bucal. Como resultado,...

Mais eficientes na redução da placa e da inflamação gengival

Novo estudo com pacientes com periodontite revela que escovas interdentais e palhetas interdentais de borracha são mais eficientes na redução da placa e...

Crianças com aftas, o que fazer?

As aftas geralmente são úlceras rasas, brancas, cinzas ou amareladas com borda vermelha que podem durar até duas semanas. Algumas pessoas as confundem...

Diabetes pode enfraquecer os dentes e favorecer a cárie dentária

Diabetes, enfraquecimento dos dentes e cáries Pessoas com diabetes tipo 1 e tipo 2 são propensas a cáries dentárias, e um novo estudo...

Que tal você se juntar aos nossos clientes e se tornar um case de sucesso também?