Obturações dentárias no futuro poderão a vir incorporar vidro bioativo

Novidades na Odontologia

Engenheiros da Universidade Estadual do Oregon fizeram descobertas promissoras sobre as propriedades do vidro “bioativo” para ajudar a reduzir a capacidade das bactérias para atacar as obturações dentárias.

Segundo os investigadores prolongar a duração das obturações dentárias poderá ser um passo importante para o tratamento dentário, uma vez que mais de 122 milhões de restaurações dentárias são feitas por ano nos Estados.

Em média uma pessoa usa os seus dentes para mastigar mais de 600.000 vezes por ano, e alguns estudos sugerem que o tempo de vida médio de um compósito dental posterior é de apenas seis anos.

O professor Jamie Kruzic,  especialista em estrutura avançada e biomateriais na OSU College of Engineering, explica que vidro bioativo, que é um tipo de vidro moído capaz de interagir com o corpo, e que tem sido utilizado em alguns tipos de cicatrização óssea à décadas. Este tipo de vidro está apenas a começar a ser utilizado em medicina dentária e a pesquisa demonstra que pode ser muito promissor para as obturações dentárias. As bactérias na boca que ajudam a causar cáries parecem não gostar deste tipo de vidro e são menos propensas a colonizar. Isso poderá vir a  ter um impacto significativo na medicina dentária.

O vidro bioativo é feito com compostos tais como óxido de silício, óxido de cálcio e óxido de fósforo, e o seu aspeto é  idêntico ao pó de vidro. É chamado de “bioativo” porque interage com o corpo , ao contrário de outros produtos biomédicos que são inertes. O vidro bioativo é muito duro e rígido, e pode substituir alguns dos materiais de enchimento inertes.

O vidro bioativo pode ajudar a prolongar a durabilidade das obturações. Segundo os  investigadores o novo estudo mostrou que a profundidade da penetração de bactérias na interface com enchimentos contendo vidro bioativo foi significativamente menor do que para os compósitos sem o vidro bioativo.

O efeito antimicrobiano do vidro bioativo é atribuída, em parte, à libertação de iões tais como os de cálcio e de fosfato, que tem um efeito tóxico sobre as bactérias orais e tendem a neutralizar o ambiente ácido local.

Sugestões de leitura

Aparelho de cerâmica

Aparelhos de cerâmica: Prós e Contras

Os aparelhos cerâmicos realinham, ajustam e endireitam os dentes da mesma forma que os aparelhos metálicos tradicionais.  No entanto, os aparelhos cerâmicos têm...

Patógeno da periodontite e a conexão com a doença de Alzheimer

Um estudo investigando o papel do Treponema denticola (T. denticola) na patogênese da doença de Alzheimer foi apresentado por Zhiqun Tang do Hospital...

Esclerose múltipla e extrações dentárias

A esclerose múltipla costuma causar fadiga extrema e dificuldades físicas que podem tornar desafiador ao paciente cuidar de sua saúde bucal. Como resultado,...

Mais eficientes na redução da placa e da inflamação gengival

Novo estudo com pacientes com periodontite revela que escovas interdentais e palhetas interdentais de borracha são mais eficientes na redução da placa e...

Crianças com aftas, o que fazer?

As aftas geralmente são úlceras rasas, brancas, cinzas ou amareladas com borda vermelha que podem durar até duas semanas. Algumas pessoas as confundem...

Diabetes pode enfraquecer os dentes e favorecer a cárie dentária

Diabetes, enfraquecimento dos dentes e cáries Pessoas com diabetes tipo 1 e tipo 2 são propensas a cáries dentárias, e um novo estudo...

Que tal você se juntar aos nossos clientes e se tornar um case de sucesso também?