Conheça como o Dentalis pode ajudar o seu consultório

Paracetamol ou Ibuprofeno para alívio da dor após a remoção dos dentes do siso?

Paracetamol ou ibuprofeno para o alívio da dor após a extração dos dentes do siso, qual a melhor escolha?

Tanto o paracetamol quanto o ibuprofeno são analgésicos comumente usados ​​para o alívio da dor após a remoção cirúrgica dos dentes do siso inferiores (terceiros molares). Em 2010, um novo analgésico (comercializado como Nuromol®) contendo paracetamol e ibuprofeno no mesmo comprimido foi lançado no Reino Unido (também disponível no Brasil).

Nesta revisão, investigamos as doses ideais de paracetamol e ibuprofeno por meio da comparação de ambos e da nova droga combinada. Levou-se em consideração o perfil de efeitos colaterais dos medicamentos do estudo. Esta revisão tem por objetivo ajudar os cirurgiões-dentistas a decidir sobre qual analgésico prescrever após a remoção do dente do siso.

Alívio da dor após a remoção dos dentes do siso – objetivos do trabalho

Comparar os efeitos benéficos e prejudiciais do paracetamol, ibuprofeno e a nova combinação de ambos em um único comprimido para alívio da dor após a remoção cirúrgica dos dentes do siso inferiores, em diferentes doses e administrados no pós-operatório.

Metodologia de pesquisa

Foram pesquisados o Cochrane Oral Health Group’s Trials Register (até 20 de maio de 2013); o Cochrane Central Register of Controlled Trials (CENTRAL) (Biblioteca Cochrane 2013, Edição 4); MEDLINE via OVID (1946 a 20 de maio de 2013); EMBASE via OVID (1980 a 20 de maio de 2013) e o metaRegister of Controlled Trials (até 20 de maio de 2013).

Foram verificadas as bibliografias de ensaios clínicos relevantes e revisados artigos para estudos posteriores. Os pesquisadores escreveram aos autores dos ensaios clínicos randomizados identificados e pesquisadas referências pessoais na tentativa de identificar ensaios clínicos randomizados não publicados ou em andamento. Nenhuma restrição de idioma foi aplicada às buscas nas bases de dados eletrônicas.

Critério de seleção

Apenas ensaios clínicos randomizados controlados duplo-cegos foram incluídos. Estudos cruzados foram incluídos desde que houvesse um período de eliminação de pelo menos 14 dias. Tinha que haver uma comparação direta no ensaio de dois ou mais medicamentos em qualquer dosagem. Todos os ensaios usaram o modelo de dor do terceiro molar.

Coleta e análise de dados

Todos os estudos identificados foram digitalizados de forma independente e em duplicata por dois revisores, quaisquer discordâncias foram resolvidas por discussão ou, se necessário, um terceiro autor da revisão foi consultado. A proporção de pacientes com pelo menos 50% de alívio da dor (com base nos dados de alívio total da dor) e diferença somada da intensidade da dor foi calculada para todos os três medicamentos em duas e seis horas após a administração e meta-analisada para comparação. A proporção de participantes que usaram medicação de resgate durante seis e oito horas também foi comparada. O número de pacientes com eventos adversos ou o número total de eventos adversos relatados, ou ambos foram analisados ​​para comparação.

Resultados principais

Sete estudos foram incluídos, todos eram estudos de grupos paralelos, dois estudos foram avaliados como de baixo risco de viés e três de alto risco de viés; dois foram considerados tendo viés pouco claro em sua metodologia. Um total de 2.241 participantes foram inscritos nesses estudos.

O ibuprofeno foi considerado um analgésico superior ao paracetamol em várias doses com evidências de alta qualidade sugerindo que ibuprofeno 400 mg é superior a 1000 mg de paracetamol com base no alívio da dor (estimado a partir de dados TOTPAR) e o uso de meta-análises de medicamentos de resgate. A taxa de risco para pelo menos 50% de alívio da dor (com base no TOTPAR) em seis horas foi de 1,47 (intervalo de confiança (IC) de 95% 1,28 a 1,69; cinco ensaios) favorecendo 400 mg de ibuprofeno em vez de 1.000 mg de paracetamol, e a taxa de risco para não usando medicação de resgate (também favorecendo o ibuprofeno) foi de 1,50 (IC 95% 1,25 a 1,79; quatro ensaios). % CI 1,32 a 2,39) (paracetamol 1.000 mg e ibuprofeno 400 mg) (um ensaio; evidência de qualidade moderada) e razão de risco sem uso de medicação de resgate 1,60 (IC 95% 1,36 a 1,88) (dois ensaios; evidência de qualidade moderada). As informações disponíveis sobre os eventos adversos dos estudos (incluindo náuseas, vômitos, dores de cabeça e tonturas) indicaram que eles eram comparáveis ​​entre os grupos de tratamento. No entanto, não foi possível analisar formalmente os dados, pois não foi possível calcular quantos eventos adversos ocorreram no total.

Conclusões dos autores

Há evidências de alta qualidade de que o ibuprofeno é superior ao paracetamol em doses de 200 mg a 512 mg e 600 mg a 1.000 mg, respectivamente, com base no alívio da dor e no uso de dados de medicação de resgate coletados seis horas após a cirurgia. A maioria dessas evidências (cinco de seis ensaios) comparou ibuprofeno 400 mg com paracetamol 1.000 mg, sendo essas as doses mais prescritas na prática clínica. A nova combinação de medicamentos está mostrando resultados encorajadores com base nos resultados de dois ensaios quando comparados aos medicamentos individuais.

Siga a Dentalis no Instagram @DentalisSoftware, no Facebook @Dentalis. Software, e no Twitter @Dentalisnet

Fonte: Ibuprofen is superior to paracetamol for pain relief following third molar removal

Conheça como o Dentalis pode ajudar o seu consultório

Sugestões de leitura

Solução de Fluoreto de Diamina: Redução de até 80% das Cáries em Crianças

Novo estudo descobriu que uma solução barata usada para tratar dentes sensíveis pode ser tão eficaz quanto os selantes dentários na prevenção da...

Aplicações da Inteligência Artificial na Odontologia

A inteligência artificial (IA) já é uma realidade na odontologia, que pode crescer muito nos próximos anos, com muitos benefícios.

Pacientes em uso de Ozempic: quais cuidados o dentista deve ter

Quais cuidados o dentista precisa ter antes da realização de procedimentos com anestesia que exijam sedação profunda

Arma Promissora Contra o Câncer de Boca

A hesperidina, um composto natural, pode ser uma alternativa promissora para o tratamento do câncer de boca, com efeitos colaterais mínimos.

Novo teste para câncer de boca: mais simples, preciso e acessível

Conheça o novo teste que promete o diagnóstico rápido do câncer bucal e que poderá ser realizado na clínica ou consultório odontológico

Broto de bambu: esperança natural contra a cárie dentária?

Cárie dentária é uma preocupação constante para a saúde bucal. Felizmente, pesquisas recentes lançam luz sobre uma possível solução natural para este problema:...