Deixe seus dados para receber mais conteúdo no futuro

    Você toparia ter uma teleconsulta com um dentista para um atendimento inicial? SimNão

    Prevenção do câncer de boca – tudo o que você precisa saber

    Muitos consideraram que 2020 foi um ano extremamente desafiador devido à pandemia COVID-19. Apesar disso, é importante não nos esquecermos do outro ‘grande C’: o câncer de boca.

    Os profissionais da odontologia estão em uma posição privilegiada para aumentar a conscientização sobre o câncer de boca. Ao mesmo tempo, também educar as pessoas sobre essa condição devastadora.

    A melhor e mais eficaz maneira de se lidar com o mal é aprender como trabalhar a sua prevenção. Tanto do ponto de vista do dentista, ao realizar o exame bucal do paciente, como do próprio paciente, através do autoexame. É isso o que vamos ver agora.

    Do ponto de vista do Dentista

    Rastreamento do câncer de boca

    Rastreamentos sistemáticos e regulares salvam vidas. Sabemos que a detecção precoce do câncer de boca resulta em uma taxa de sobrevivência de 90%. Isso é comparado a 50% na detecção tardia do câncer bucal.

    Mouth Cancer Foundation recomenda fazer um exame completo do câncer de cabeça e pescoço em todos os pacientes com mais de 16 anos, pelo menos uma vez por ano.

    Recentemente os especialistas Dr. Ciro Gilvetti e Andrew Osafo escreveram um artigo onde descrevem sobre como realizar de forma simples um exame completo de câncer de boca.

    Sinais e sintomas do câncer de boca

    Esse exame se baseia na observação e análise dos seguintes sinais e sintomas:

    – Dor persistente na boca;

    – Manchas brancas ou vermelhas na boca;

    – Uma ferida ou úlcera na boca que não cicatriza em três semanas;

    – Nódulos e inchaços na boca, cabeça ou pescoço;

    – Dificuldade em mastigar ou mover a língua, ou mandíbula;

    – Rouquidão crônica ou dor de garganta que persiste por mais de seis semanas;

    – Comprometimento da mobilidade dentária.

    Técnicas complementares

    As técnicas adjuvantes ajudam os profissionais de saúde a detectar anormalidades da mucosa oral. Os especialistas escreveram um artigo sobre as técnicas auxiliares disponíveis para o rastreamento do câncer de boca. Esse artigo encontra-se disponível para consulta em detalhes na publicação Dentistry Online.

    É importante lembrar que as técnicas adjuvantes não substituem o exame clínico do câncer oral. Essas ferramentas não fornecem um diagnóstico. Em vez disso, complementam e fortalecem os protocolos clínicos existentes.

    Carência na prevenção do câncer de boca

    O relatório State of Mouth Cancer UK 2019/2020 revelou que 74% dos adultos britânicos nunca examinaram a boca em busca de sinais de câncer. O relatório também mostrou que 16% dos adultos fazem uma verificação uma vez por mês.

    Melhor prevenção do câncer de boca é sua detecção precoce

    Muitas pessoas não sabem que, em seus estágios iniciais, o câncer de boca pode ser quase invisível, podendo ser facilmente ignorados. É por isso que é tão importante ficar de olho na saúde de sua boca, pois as chances de sobrevivência aumentam significativamente se o câncer for detectado precocemente e tratado rapidamente.

    O que o paciente pode fazer em casa

    O recomendável é que todos com mais de 16 anos façam esta autoverificação de dois minutos uma vez por mês, após a limpeza dos dentes. Tudo que você precisa para realizar o teste de boca é:

    • Um espelho;
    • Uma boa fonte de luz;
    • Mãos e dedos higienizados.

    Em cada etapa, você inspeciona e apalpa quaisquer caroços, manchas vermelhas ou brancas e alterações na cor ou textura, úlceras persistentes ou qualquer coisa incomum.

     

    Prevenção do câncer de boca – autoexame do rosto

    Olhe para todo o rosto.

    • Há algum inchaço que você não percebeu antes?
    • Inspecione sua pele. Algo mudou recentemente?
    • As pintas ficaram maiores ou começaram a coçar, ou sangrar?
    • Vire a cabeça de um lado para o outro. Isso estica a pele sobre os músculos, tornando os caroços mais fáceis de ver?

    Prevenção do câncer de boca – autoexame do pescoço

    Passe os dedos sob a mandíbula e sinta ao longo do músculo grande de cada lado do pescoço usando as pontas dos dedos.

    • Existem inchaços?
    • Tudo parece igual em ambos os lados?

    Prevenção do câncer de boca – autoexame dos lábios

    Use o indicador, o dedo médio e o polegar para sentir o interior da boca.

    • Puxe o lábio superior para cima e o lábio inferior para baixo para ver se há feridas ou alterações na cor;
    • Use o polegar e o indicador para sentir ao redor e dentro dos lábios, verificando se há protuberâncias, protuberâncias ou alterações na textura.

    Prevenção do câncer de boca – autoexame das gengivas

    Use o polegar e o indicador na parte interna e externa da gengiva, percorrendo-a para sentir qualquer coisa incomum.

    • Abra a boca e afaste as bochechas, um lado de cada vez, com o dedo para olhar para dentro. Procure por manchas vermelhas ou brancas.
    • Use o dedo na bochecha para verificar se há úlceras, caroços ou sensibilidade.
      Repita do outro lado.
    • Sua língua pode ser útil para localizar áreas doloridas, úlceras ou manchas ásperas.

    Prevenção do câncer de boca – autoexame da língua

    • Com cuidado, puxe a língua para fora e olhe primeiro para um lado e depois para o outro;
    • Procure qualquer inchaço, úlcera ou mudança de cor;
    • Examine a parte inferior da língua levantando a ponta da língua até o céu da boca.

    Prevenção do câncer de boca – autoexame do assoalho da boca

    • Levante a língua e olhe por baixo, em seguida, olhe para o assoalho da boca para ver se há mudanças de cor incomuns;
    • Pressione suavemente o dedo ao longo do assoalho da boca e na parte inferior da língua para sentir se há caroços, inchaços ou úlceras.

    Prevenção do câncer de boca – autoexame do teto da boca

    • Incline a cabeça para trás e abra bem a boca para verificar o céu da boca;
    • Como alternativa, use um pequeno espelho de boca para ver o céu da boca. Observe se há alterações na cor ou úlceras;
    • Verifique se há alterações na textura com o dedo.

    Se você encontrar algo durante a sua verificação que suscite alguma preocupação, visite seu dentista ou médico para obter uma opinião profissional.

    Siga a Dentalis no Instagram @DentalisSoftware, no Facebook @Dentalis.Software e no twitter @Dentalisnet

    Fontes: Dentistry OnlinePracticeplanMouth Cancer Foundation

    Deixe seus dados para receber mais conteúdo no futuro

      Você toparia ter uma teleconsulta com um dentista para um atendimento inicial? SimNão

      Sugestões de leitura

      Síndrome da Boca Ardente: nova esperança para o alívio

      Você sente uma sensação crônica de queimação na boca sem causa aparente? Nesse caso, você pode ser uma das muitas pessoas que sofrem...

      A Influência do DNA na Saúde Bucal

      Conheça o papel da genética sobre a saúde bucal. Será que apenas a genética pode garantir uma boa saúde dos dentes e gengivas?...

      Tártaro: o vilão silencioso da sua saúde bucal

      Dentes limpos não significam necessariamente dentes saudáveis. O tártaro, também conhecido como placa bacteriana, é uma camada pegajosa que se acumula nos dentes...

      Quando levar seu bebê no dentista pela primeira vez?

      A chegada do primeiro dentinho do bebê é um marco emocionante. Mas você sabia que esse momento também marca o início de uma...

      A Raiz do Mau Hálito: A Ciência Revela

      Ciência revela a origem do mau hálito e sua associação com as bactérias da flora bucal. Saiba como prevenir e tratar o mau...

      Dentes brancos: promessas da publicidade vs. realidade do tratamento

      Artigo destaca as diferenças entre as promessas dos cremes dentais clareadores e o clareamento dental profissional realizado por dentistas