Deixe seus dados para receber mais conteúdo no futuro

    Você toparia ter uma teleconsulta com um dentista para um atendimento inicial? SimNão

    Tártaro: um grande risco para a saúde bucal e do corpo

    This is a subtitle for your new post

    Os principais problemas que afetam a saúde bucal são as cáries e doenças gengivais.

    As duas condições são iniciadas pela presença de tártaro ou placa dental.

    O tártaro se forma e acumula como resultado direto da negligência com a higiene bucal.

    Assim, é possível prevenir esses problemas atacando a fonte dos problemas, ou seja, evitar a formação de tártaro.

     

    O que é tártaro?

    O tártaro, também conhecido como placa, forma uma película aderente que pode ser encontrada nos dentes a partir da região da gengiva, grudado à superfície do dente. É essencialmente uma camada pegajosa de diferentes categorias de bactérias que acabam causando cáries e doenças gengivais. O tipo exato de bactéria varia de pessoa para pessoa.

    Não removido, o tártaro se calcifica, o que significa que irá endurecer e formar uma camada quebradiça. Este tártaro endurecido é conhecido como cálculo dentário. Pedaços desse tártaro calcificado podem quebrar e alcançar o sistema digestivo.

    Somente a escovação correta, especialmente se feita com a ajuda de um creme dental antitártaro e o uso do fio dental podem reduzir a formação da placa bacteriana e do tártaro.

    Uma vez formado, só o dentista poderá retirar o tártaro dos dentes.

    O processo de retirada do tártaro é feito pelo dentista com o uso de instrumentos especiais (curetas e ultrassom). Esse processo recebe o nome de destartarização.

    O que causa o tártaro?

    O tártaro ou placa é uma combinação de bactérias e uma matriz extracelular que adere à superfície externa do dente. O desenvolvimento da placa começa com a fixação da película ou camada fina de proteínas salivares à superfície do dente. As bactérias Gram-positivas começam então a aderir à película e a multiplicar-se.

    À medida que bactérias começam a colonizar a superfície do dente, outras espécies, como Veillonella, Actinomyces e Capnocytophaga, bactérias gram positivas e negativas, começam a contribuir para a colonização e criação da placa. Entre a primeira e a terceira semana, se a placa não for removida, cria-se um ambiente anaeróbio.

    A colonização tardia se fará por bactérias como Porphyromonas gingivalis, bastonetes móveis e espécies de treponema que se juntam para a formação da placa. A população microbiana terá diferentes composições com base no local, substrato disponível, componentes salivares e práticas de higiene do indivíduo. Quanto mais tempo a placa for ignorada, maior será a probabilidade de surgirem várias doenças dentais e gengivais.

    Por que o tártaro é prejudicial?

    O primeiro aspecto prejudicial da presença do tártaro é o cosmético. Os dentes ficam manchados e a camada esbranquiçada do tártaro se torna evidente. No entanto, o segundo aspecto é o mais perigoso, pois afeta a saúde. Ter uma camada de placa nos dentes e gengivas significa que eles se tornam mais vulneráveis ​​a doenças. Conforme o tártaro cresce na superfície dos dentes, eles começam a se deteriorar e cáries se formam no esmalte. Embora o esmalte seja uma das substâncias mais fortes do corpo humano, se a placa não for removida a tempo, ela passará a formar  pequenos orifícios.

    À medida que ocorre a calcificação da placa, a substância endurecida causa ainda mais problemas para as gengivas. A inflamação das gengivas pode provocar sangramento, descoloração e sensibilidade. O inchaço das gengivas costuma ser acompanhado de mau hálito. As gengivas também podem recuar devido à infecção. O tártaro endurecido (calcificado), passa a ser chamado como cálculo dentário. O cálculo endurecido irrita as gengivas e as faz sangrar.

    Medidas para eliminar o tártaro

    Escovação: escovar os dentes com creme dental com flúor é uma obrigação. Os dentistas recomendam escovar os dentes sempre após as refeições. Os dentes devem ser escovados por pelo menos dois minutos, tendo o cuidado de limpar todas as superfícies dos dentes. É importante escolher uma escova de dentes com cerdas macias para não machucar a gengiva.

    • Uso do fio dental: apenas 40% do tártaro é removido pela escovação. Grande parte da placa bacteriana entre os dentes pode ser removida pelo uso adequado do fio dental. Os espaços interdentais e áreas sob a linha da gengiva são mais bem alcançados e limpos durante o uso do fio dental. O ideal é usar o fio dental sempre após cada refeição.
    • Enxaguatório bucal: use um enxaguatório bucal regularmente após as refeições. Melhor ainda se o enxaguatório tiver flúor na sua composição. Se você já está lutando contra o tártaro, peça ao dentista que recomende um enxaguatório bucal antibacteriano adequado a sua necessidade.
    • Alimentação saudável: como os alimentos ricos em açúcar e amido são um terreno fértil para as bactérias da boca, tente evitá-los. Coma alimentos mais saudáveis, como frutas e vegetais crus, que não só fornecem muitos nutrientes ao seu corpo, mas também ajudam na ação de limpeza dos dentes durante a mastigação, porque eles são ricos em fibras.
    • Exames dentários regulares: a maioria das pessoas evita ir ao dentista até que algo de errado aconteça. Em vez disso, visite o dentista regularmente a cada seis meses. Isso garantirá que nada realmente ocorra de errado com seus dentes. Fazer uma limpeza profissional também ajuda a prevenir cáries e doenças gengivais. A prevenção é e sempre será o melhor remédio.

    Siga a Dentalis no Instagram @DentalisSoftware,  no Facebook @Dentalis.Software e no twitter @Dentalisnet

    Fontes: Periodental diseases – plaque, calculus and regressive changesCavities and tooth decayAdult oral healthPlaque & TartarO que é tártaro?

    Deixe seus dados para receber mais conteúdo no futuro

      Você toparia ter uma teleconsulta com um dentista para um atendimento inicial? SimNão

      Sugestões de leitura

      Impacto da Doença Renal Crônica na Saúde Bucal de Mulheres Pós-Menopausa

      Mulheres com idade mais avançada e portadoras de doença renal crônica estão mais expostas ao risco da perda de dentes a ponto de...

      Periodontite e o Risco de AVC em Pessoas com Menos de 50 anos

      A periodontite, uma inflamação das estruturas que sustentam nossos dentes, pode aumentar muito o risco de AVC (derrame cerebral) em pessoas com menos...

      Alerta para os riscos do Xilitol – Novo Estudo

      Um recente estudo, publicado no European Heart Journal, revelou uma ligação preocupante entre o consumo de xilitol, um adoçante de baixas calorias, e...

      Câncer bucal: o dentista pode ser o primeiro a detectar

      Quando vamos ao dentista, geralmente buscamos resolver um problema dental que esteja nos incomodando, obter uma limpeza dental ou melhorar a estética dos...

      Infecções Bucais: Causas, Sintomas e Tratamentos

      Infecções na boca podem ser bem incômodas e causar preocupação, tornando tarefas do dia a dia, como comer ou escovar os dentes, mais...

      Novo Medicamento pode Regenerar Dentes Perdidos

      Os cientistas vêm obtendo progresso no desenvolvimento de um novo medicamento que pode ajudar a regenerar os dentes. Sim, regenerar os dentes. O...