A relação entre menopausa e doença periodontal

A menopausa está associada a uma série de mudanças orais, incluindo um maior risco de inflamação, um menor fluxo salivar, bem como a alteração da composição salivar e osteoporose primária que afetam os ossos mandibulares. Comparando periodontite em mulheres na pré e pós menopausa, uma equipe de pesquisadores avaliou agora como as mudanças da menopausa afetam a gravidade da doença periodontal e perda de dentes.

Menopausa e doença periodontal

 
A fim de medir o impacto da menopausa na saúde bucal em mulheres, investigadores do Centro de Investigação Interdisciplinar Egas Moniz no Monte da Caparica, em conjunto com colegas da Universidade de Granada, na Espanha, estudaram 68 mulheres menopausadas e 34 mulheres na pré-menopausa, todas sofrendo de periodontite crônica.
 
Os parâmetros orais e periodontais, como o número de dentes, índice de placa, presença de cálculo, profundidade de sondagem, sangramento na sondagem, recessão gengival e perda de inserção, foram registrados em um exame clínico realizado por um periodontista. Os pesquisadores ainda coletaram dados demográficos, históricos médico e ginecológico e hábitos de saúde bucal dos participantes.
 
Comparando mulheres na pré e pós-menopausa, os cientistas não encontraram diferenças significativas para os parâmetros periodontais e perda de dentes. Embora as análises mostrassem que o número de dentes foi significativamente menor em mulheres na pós-menopausa, a diferença não foi estatisticamente significante depois de ajustar os resultados para idade, tabagismo e índice de placa.
 
Contra este pano de fundo, os pesquisadores concluíram que a menopausa não parece influenciar a gravidade da doença periodontal e perda de dente consideravelmente. Em vez disso, outros fatores podem exercer uma influência maior sobre a progressão da doença periodontal em vez da menopausa propriamente dita. Devido ao grande número de fatores envolvidos, eles fundamentaram que além da relação entre a menopausa e a doença periodontal é difícil de estabelecer porque qualquer relação achada seria sempre menos significativa do que outros fatores de risco bem conhecidos da doença periodontal.
 
Reconhecendo que a população do estudo não era representativa da população portuguesa, os pesquisadores observaram que estudos adicionais com amostras maiores e períodos mais longos de observação são necessários para confirmar ou excluir o papel da menopausa no curso da doença periodontal.
 
O estudo, intitulado “Relação entre menopausa e doença periodontal: Um estudo transversal na população portuguesa” , foi publicado on-line em 15 de julho no International Journal of Clinical and Experimental Medicine.

Sugestões de leitura

Aparelho de cerâmica

Aparelhos de cerâmica: Prós e Contras

Os aparelhos cerâmicos realinham, ajustam e endireitam os dentes da mesma forma que os aparelhos metálicos tradicionais.  No entanto, os aparelhos cerâmicos têm...

Patógeno da periodontite e a conexão com a doença de Alzheimer

Um estudo investigando o papel do Treponema denticola (T. denticola) na patogênese da doença de Alzheimer foi apresentado por Zhiqun Tang do Hospital...

Esclerose múltipla e extrações dentárias

A esclerose múltipla costuma causar fadiga extrema e dificuldades físicas que podem tornar desafiador ao paciente cuidar de sua saúde bucal. Como resultado,...

Mais eficientes na redução da placa e da inflamação gengival

Novo estudo com pacientes com periodontite revela que escovas interdentais e palhetas interdentais de borracha são mais eficientes na redução da placa e...

Crianças com aftas, o que fazer?

As aftas geralmente são úlceras rasas, brancas, cinzas ou amareladas com borda vermelha que podem durar até duas semanas. Algumas pessoas as confundem...

Diabetes pode enfraquecer os dentes e favorecer a cárie dentária

Diabetes, enfraquecimento dos dentes e cáries Pessoas com diabetes tipo 1 e tipo 2 são propensas a cáries dentárias, e um novo estudo...

Que tal você se juntar aos nossos clientes e se tornar um case de sucesso também?