Cinco dicas para prevenção do câncer oral

5 dicas para prevenção do câncer oral

Quando se trata de saúde bucal, a maioria de nós se concentra em evitar cáries ou banir o mau hálito. Nós realmente não pensamos em tomar medidas para prevenir o câncer oral.

Mas conforme o Dr. Samer Al-Khudari, devemos. 

“Infelizmente, há relativamente pouca consciência sobre esses cânceres – incluindo como evitá-los e reconhecê-los”, afirma Al-Khudari, um cirurgião de cabeça e pescoço do Rush University Medical Center.

Os cânceres da cavidade oral (incluindo lábios, bochechas e língua) e orofaringe (incluindo palato mole, amígdalas e garganta) podem surgir de várias maneiras e nem sempre são fáceis de detectar. 

“Os sintomas variam conforme o tipo de câncer”, explica Al-Khudari. “Nem todos os pacientes têm dor ou irritação. Às vezes, os sintomas são quase imperceptíveis nas fases iniciais.”

Essa é uma grande razão pela qual esses cânceres geralmente não são diagnosticados até os estágios finais, após se espalharem para os nódulos linfáticos.

O que você precisa saber sobre câncer bucal

Aqui estão algumas outras coisas importantes que você deve saber sobre o câncer de boca e o câncer de orofaringe:

  • Em geral, os homens têm duas vezes mais chances de serem diagnosticados com esses tipos de câncer do que as mulheres;
  • O número de pacientes com menos de 50 anos tem aumentado constantemente;
  • Às vezes esses cânceres também ocorrem em adultos jovens entre 20 e 30 anos;
  • Pacientes que sobrevivem ao primeiro encontro com a doença têm maior risco de desenvolver um segundo câncer relacionado. Esse risco aumentado pode durar de cinco a 10 anos;
  • A biópsia é a única forma de diagnosticar adequadamente tumores e lesões orais e orofaríngeas;
  • Embora esses vários tipos de câncer possam ser encontrados em uma pequena área do corpo, cada tipo tem diferentes causas e tratamentos;
  • Pacientes em uso de medicamentos de imunossupressão – geralmente aqueles que fizeram um transplante de órgão – apresentam risco aumentado de câncer de cabeça e pescoço.

 

Mantendo sua boca e garganta saudáveis

A boa notícia é que, mesmo nos estágios mais avançados, esses cânceres ainda são muito tratáveis.

Com os avanços atuais do tratamento, as taxas de sobrevivência para cânceres orais melhoraram até mesmo uma década atrás.

Na verdade, descobriu-se que alguns cânceres de orofaringe apresentam taxas de sobrevivência de 80 a 90 por cento em três anos.

E muitos cânceres de boca e orofaríngeo podem ser evitados com cuidados pessoais sensatos e escolhas de estilo de vida, saudáveis.

Cinco cuidados preventivos para prevenção do câncer oral

 

1. Fique longe do cigarro

Quanto mais tempo você fuma e com mais frequência, maior é o risco de câncer de cabeça e pescoço.

“Tanto o fumo como o quanto o tabaco sem fumaça desempenham um papel direto na causa desses cânceres”, diz Al-Khudari.

Tabacos de mascar, sem fumaça e rapé, sendo colocados diretamente na boca, podem criar úlceras brancas acinzentadas chamadas leucoplasias na boca, que podem se tornar cancerosas. 

O tabaco sem fumaça também contém produtos químicos conhecidos por danificar um gene, fonte de proteção contra o câncer.

 

2. Beba álcool com moderação

Tal como acontece com o fumo, quanto mais tempo você usa álcool e a quantidade que bebe, mais aumenta o risco. Isso porque o álcool desempenha um papel na mudança da química do corpo para desestabilizar suas defesas contra o câncer.

Pessoas que tomam mais de 3,5 drinks por dia aumentam o risco de câncer na cavidade oral duas a três vezes, conforme o National Institute of Health. 

Cliquei aqui para calcular o volume da equivalência em drinks de acordo com cada bebida alcoólica.

“Definitivamente, você deve evitar beber em excesso”, afirma Al-Khudari. “A dependência do álcool e o consumo excessivo de álcool aumentam o risco para o desenvolvimento de câncer bucal.

E o consumo excessivo de álcool e fumo combinados tem um efeito multiplicador”.

 

3. Consulte seu dentista regularmente

Muitas vezes, os dentistas são os primeiros a perceber crescimentos potencialmente cancerosos.

“Normalmente, os dentistas detectam os problemas muito cedo durante os exames dentários de rotina“, diz Al-Khudari. “Eles podem encaminhá-lo para um especialista em ouvido, nariz e garganta (otorrinolaringologista) ou um cirurgião de cabeça e pescoço. 

Uma vez confirmado o diagnóstico e iniciado o tratamento, há uma boa chance do câncer ser eliminado.”

Além de ir ao dentista a cada seis meses, certifique-se de escovar e passar fio dental sempre após as refeições – para manter os dentes e a boca saudáveis.

 

4. Seja vacinado contra o HPV

O papilomavírus humano (HPV), particularmente o HPV16, está fortemente associado aos cânceres orofaríngeos, especialmente aqueles na parte posterior da boca.

“Normalmente, os cânceres relacionados ao HPV são encontrados em homens na faixa dos 40 ou 50 anos”, diz Al-Khudari. “Eles tendem a ter sintomas mínimos, como um inchaço no pescoço”.

 

A melhor maneira de prevenir o HPV é vacinar-se antes de se tornar sexualmente ativo. Com as vacinas agora disponíveis que protegem contra duas cepas de HPV – recomendadas para crianças e adolescentes – há esperança de que o número de casos desses cânceres diminua com o tempo, à medida que mais pessoas sejam vacinadas.

 

E como se pode contrair HPV em um único encontro sexual, Al-Khudari também recomenda praticar sexo seguro.

 

5. Proteja seus lábios do sol

O câncer de lábio está diretamente relacionado à radiação ultravioleta da luz solar, e as pessoas que trabalham ao ar livre e se expõe de forma prolongada ao sol têm maior probabilidade de desenvolver câncer labial.

 

“Se você tem um histórico de queimaduras solares graves, tome cuidado extra com os seus lábios. Assim como a pele pode queimar facilmente, os lábios também são sensíveis ao sol”, diz Al-Khudari.

 

Procure limitar a exposição ao sol nos horários de pico das 10 (h) às 16 (h), sempre use um protetor labial com FPS quando estiver ao ar livre e reaplique-o após comer ou beber, ou sempre que reaplicar o protetor solar. Além disso, use boné ou chapéu que proteja seu rosto do sol.

 

Sintomas do câncer oral

Em geral, os sinais de alerta de câncer de boca e garganta são os seguintes:

  • Feridas na boca que não cicatrizam;
  • Sangramento na boca que persiste por mais de uma semana;
  • Nódulos de crescimento lento na boca ou pescoço;
  • Dor na cavidade bucal que persiste por mais de duas semanas;
  • Mudanças dramáticas na voz, especialmente em fumantes;
  • Dores de ouvido persistentes em ambas as orelhas;
  • Dormência do lábio inferior e queixo.

Se você sentir algum desses sintomas visite seu médico de atenção primária o mais rápido possível.

Se for câncer, quanto mais cedo for diagnosticado, maiores serão as chances de poder tratá-lo e curá-lo com sucesso.

 

Siga a Dentalis no Instagram @DentalisSoftware, no Facebook @Dentalis.Software e no twitter @Dentalisnet

Fontes: Rush UniversityMedicalXpress 

Sugestões de leitura

Morsicatio buccarum

Morder a parte interna da boca: o que causa esse hábito?

Mordeduras na parte interna da boca podem causar lesões na mucosa.  É um comportamento repetitivo e compulsivo.  Pode resultar em sangramento, inflamação e...

Aparelho de cerâmica

Aparelhos de cerâmica: Prós e Contras

Os aparelhos cerâmicos realinham, ajustam e endireitam os dentes da mesma forma que os aparelhos metálicos tradicionais.  No entanto, os aparelhos cerâmicos têm...

Patógeno da periodontite e a conexão com a doença de Alzheimer

Um estudo investigando o papel do Treponema denticola (T. denticola) na patogênese da doença de Alzheimer foi apresentado por Zhiqun Tang do Hospital...

Esclerose múltipla e extrações dentárias

A esclerose múltipla costuma causar fadiga extrema e dificuldades físicas que podem tornar desafiador ao paciente cuidar de sua saúde bucal. Como resultado,...

Mais eficientes na redução da placa e da inflamação gengival

Novo estudo com pacientes com periodontite revela que escovas interdentais e palhetas interdentais de borracha são mais eficientes na redução da placa e...

Crianças com aftas, o que fazer?

As aftas geralmente são úlceras rasas, brancas, cinzas ou amareladas com borda vermelha que podem durar até duas semanas. Algumas pessoas as confundem...

Que tal você se juntar aos nossos clientes e se tornar um case de sucesso também?