Como enfrentar o medo de ir ao dentista

Medo de ir ao dentista? Tem solução

A saúde bucal é sem dúvida um dos aspectos mais importantes de nossa saúde geral.

No entanto, talvez um dos grandes problemas ainda seja o medo do dentista.

Esse medo comum pode ser resultado de uma série de emoções relacionadas a preocupações com sua saúde bucal, bem como potenciais experiências ruins que você possa ter tido no dentista durante a sua infância ou juventude.

Mas, para algumas pessoas, esses medos podem vir na forma de dentofobia (também chamada odontofobia). Como outras fobias, é definida como um medo extremo ou irracional de objetos, situações ou pessoas — neste caso, dentofobia é o medo extremo de ir ao dentista.

Dada a importância dos cuidados bucais para sua saúde geral, o medo do dentista não deve impedi-lo de realizar exames e limpezas regulares. Ainda assim, não é fácil para qualquer pessoa simplesmente ir ao dentista na presença do medo.

Aqui, discutiremos as possíveis causas subjacentes, bem como os tratamentos e mecanismos de enfrentamento que podem ser um ponto de partida para ajudá-lo a vencer o medo do dentista

Medo vs. Fobia

Os medos e as fobias são frequentemente discutidos de forma intercambiável, porém esses dois estados mentais apresentam algumas diferenças marcantes entre eles.

Um medo pode ser uma forte aversão que pode causar evasão, mas não é necessariamente algo em que você deva pensar até que o que você se defronte com o que teme.

Por outro lado, a fobia é uma forma muito mais intensa de medo. As fobias são consideradas uma forma de transtorno de ansiedade, conhecidas por causar extrema angústia e evasão — e que muito interferem em sua vida diária.

A fobia por si só provavelmente não lhe causará danos, porém a simples percepção do medo e até pavor lhe parecem extremamente reais

Quando aplicado ao contexto de ir ao dentista, estar com medo pode significar que você não gosta de ir e assim fica postergando suas consultas.

Você pode não gostar da sensação e dos sons dos instrumentos usados ​​durante as limpezas e outros procedimentos, mas os tolera de qualquer maneira, e acaba indo quando a necessidade do atendimento odontológico se faz muito necessária.

Em comparação, a dentofobia pode apresentar um medo tão intenso que você evita o dentista por completo. Mesmo a simples menção ou pensamento do dentista pode causar ansiedade. Pesadelos e ataques de pânico também podem ocorrer.

As causas e o tratamento para o medo do dentista e a dentofobia podem ser semelhantes. No entanto, uma legítima fobia de dentista pode requerer mais tempo para ser resolvida.

Causas

O medo do dentista é geralmente causado por experiências anteriores negativas. Você pode ter tido medo do dentista quando criança e esses sentimentos permaneceram com você à medida que você crescia.

Algumas pessoas também têm medo dos ruídos do instrumental que os dentistas  usam para limpar os dentes e realizar exames, portanto, pensar nisso também pode causar alguns medos.

Fobia é um medo extremo. Isso também pode estar ligado a uma experiência negativa no passado. Talvez você tenha sentido dor, desconforto ou uma falta geral de empatia em um consultório dental, e isso criou uma aversão significativa a consultar outro dentista no futuro. Estima-se que 2,7 por cento dos homens e 4,6 por cento das mulheres apresentem dentofobia.

Além de medos e fobias vinculados a experiências anteriores, também é possível sentir medo de um dentista por preocupações que você possa ter sobre sua saúde bucal. Talvez você tenha dor de dente ou sangramento nas gengivas, ou talvez simplesmente não vá ao dentista há vários meses, ou anos e esteja com medo de receber más notícias.

Qualquer uma dessas preocupações pode fazer com que você evite ir ao dentista.

Tratamentos

Medos leves de ir ao dentista são melhor remediados indo ao dentista em vez de evitá-los, ou seja, enfrentando o medo.

No caso de um tratamento dentário significativo, você pode pedir para ser sedado para não acordar durante o procedimento. Embora não seja uma prática comum em todos os consultórios, você pode encontrar um dentista que possa atender aos seus desejos de sedação.

No entanto, se você tem uma fobia verdadeira, o ato de ir ao dentista pode lhe parecer simplesmente uma barreira intransponível

Como outras fobias, a dentofobia pode estar ligada a um transtorno de ansiedade, que pode exigir uma combinação de terapias e medicamentos.

Terapia de exposição ao medo

A terapia de exposição, uma variedade de psicoterapia, está entre as soluções mais eficazes para a dentofobia porque envolve ver o dentista de uma maneira mais gradual.

Você pode começar visitando o consultório do dentista sem realmente ter de se sentar para fazer um exame. Então, você pode aumentar gradualmente suas visitas com exames parciais, radiografias e limpezas até se sentir confortável para encarar uma consulta completa.

Medicamento

Os medicamentos não tratam a dentofobia por si próprios. No entanto, certos tipos de medicamentos ansiolíticos podem aliviar os sintomas enquanto a terapia de exposição é trabalhada. Isso também pode aliviar alguns dos sintomas mais físicos de sua fobia, como a pressão alta.

Dicas para ficar calmo

Esteja decidido a enfrentar o seu medo de frente ou para a terapia de exposição e assim ir gradativamente ao dentista.

As dicas a seguir podem ajudá-lo a manter a calma durante a consulta:

  • Consulte o dentista em um horário menos movimentado do dia, como pela manhã. Haverá menos pessoas, mas também menos ferramentas fazendo ruídos que podem desencadear sua ansiedade. Além disso, quanto mais tarde você for ao dentista, mais tempo sua ansiedade crescerá por antecipação;

   

  • Traga fones de ouvido com cancelamento de ruído ou fones de ouvido com música para ajudá-lo a relaxar;

   

  • Peça a um amigo ou familiar que o acompanhe durante a consulta;

   

  • Pratique respiração profunda e outras técnicas de meditação e relaxamento para evitar a ansiedade;

   

  • Primeiro, saiba que está tudo bem se precisar de uma pausa a qualquer momento durante a sua consulta. Pode ser útil estabelecer um “sinal” com seu dentista com antecedência para ele saber quando parar;
  • Você pode então continuar com sua consulta quando estiver pronto ou voltar outro dia quando se sentir melhor.

Como encontrar o dentista certo para você

Entre as qualidades mais importantes de um dentista está a capacidade de compreender seus medos e aversões.

Você pode pedir ao seu médico ou a um familiar seu a recomendação de um dentista que saiba lidar bem com o medo de seus pacientes.

Outra opção é telefonar e perguntar aos consultórios em potencial se eles estão habituados a atender pacientes com medo ou dentofobia.

Antes de ir para um exame e profilaxia dental, você pode considerar marcar uma consulta prévia para conversar com o dentista e avaliar a sua habilidade em lidar com pacientes com medo ou dentofobia e o quanto o profissional lhe transmite confiança e segurança.

É importante ser franco sobre o motivo do medo de ir ao dentista, para ele poder colocá-lo mais à vontade

O dentista certo levará seus medos a sério e, ao mesmo tempo, atenderá às suas necessidades.

   

Resumindo

A saúde bucal é um aspecto muito importante do seu bem-estar geral.

Ainda assim, esse fato por si só pode não ser suficiente para convencer alguém a ir ao dentista no caso de medo extremo ou fobia.

Ao mesmo tempo, evitá-lo continuamente só tornará o medo do dentista ainda pior.

Existem inúmeras estratégias disponíveis para lidar com a dentofobia

Também é importante alertar seu dentista para que ele possa auxiliá-lo.

Levará tempo e esforço, mas é possível progredir até um ponto em que seus medos não o impedirão mais de obter os cuidados bucais que você necessita.

.

Siga a Dentalis no Instagram @DentalisSoftware, no Facebook @Dentalis.Software, e no twitter @Dentalisnet

Fontes:  Fear of the dentistStrategies to manage patients with dental anxiety and dental phobiaWhy Are People Afraid of the Dentist?Dental fear? Our readers suggest coping techniquesCan you read my pokerface? A study on sex differences in dentophobia

Sugestões de leitura

Aparelho de cerâmica

Aparelhos de cerâmica: Prós e Contras

Os aparelhos cerâmicos realinham, ajustam e endireitam os dentes da mesma forma que os aparelhos metálicos tradicionais.  No entanto, os aparelhos cerâmicos têm...

Patógeno da periodontite e a conexão com a doença de Alzheimer

Um estudo investigando o papel do Treponema denticola (T. denticola) na patogênese da doença de Alzheimer foi apresentado por Zhiqun Tang do Hospital...

Esclerose múltipla e extrações dentárias

A esclerose múltipla costuma causar fadiga extrema e dificuldades físicas que podem tornar desafiador ao paciente cuidar de sua saúde bucal. Como resultado,...

Mais eficientes na redução da placa e da inflamação gengival

Novo estudo com pacientes com periodontite revela que escovas interdentais e palhetas interdentais de borracha são mais eficientes na redução da placa e...

Crianças com aftas, o que fazer?

As aftas geralmente são úlceras rasas, brancas, cinzas ou amareladas com borda vermelha que podem durar até duas semanas. Algumas pessoas as confundem...

Diabetes pode enfraquecer os dentes e favorecer a cárie dentária

Diabetes, enfraquecimento dos dentes e cáries Pessoas com diabetes tipo 1 e tipo 2 são propensas a cáries dentárias, e um novo estudo...

Que tal você se juntar aos nossos clientes e se tornar um case de sucesso também?