Como evitar que doenças gengivais provoquem uma doença autoimune

Como evitar doença autoimune a partir de doenças gengivais

O fato é que uma saúde bucal ruim pode realmente causar um colapso na saúde e no bem-estar de todo o corpo.

Nos últimos anos, vários estudos continuaram a sugerir fortemente que um declínio em nossa saúde bucal pode causar doenças em todo o corpo.

Então, o que podemos fazer para interromper o processo da doença?
Primeiro, vamos dar uma olhada no cenário geral. Em seguida, discutiremos o que podemos fazer para prevenir ou tratar a doença gengival que pode estar contribuindo para outros problemas no corpo inteiro.

As bactérias vilãs
Os pesquisadores descobriram que duas das bactérias fortemente implicadas nas doenças gengivais podem, na verdade, causar 
artrite reumatoide.
As bactérias vilãs, 
P. Gingivalis e A. Actinomycetemcomitans (ou PG e AA para abreviar), produzem uma enzima que pode fazer com que certas proteínas em nosso corpo mudem de forma.

Se esse ciclo de dano proteico induzido por doença na gengiva não for controlado e se tornar crônico, nosso sistema imunológico ficará hipersensibilizado às proteínas alteradas, começará a identificá-las como invasoras e atacá-las.

Infelizmente, essas proteínas são comumente encontradas em nossos tecidos conjuntivos. Com o tempo, esse ataque do sistema imunológico aos nossos próprios tecidos conjuntivos resulta no dano que observamos na doença periodontal e na artrite reumatoide.

Ambas as doenças provocam essencialmente a mesma coisa: dano progressivo dos tecidos conjuntivos próximos ao osso.

Para a artrite reumatoide, o resultado é uma lesão dolorosa nas articulações.

Na boca, o resultado é a perda do tecido conjuntivo que mantém nossos dentes firmemente enraizados no osso da mandíbula, razão pela qual a doença periodontal é a causa número 1 de perda de dentes em adultos.

Bactérias vilãs viajam pelo corpo
Infelizmente, as bactérias implicadas nas doenças gengivais não permanecem na boca. Eles percorrem um caminho por todo o sistema sanguíneo através dos capilares em nosso tecido gengival.

Se permitirmos que essas bactérias se instalem em nossas bocas e colonizem nossas gengivas, elas irão prejudicar nossa saúde. E para qualquer pessoa com tendência genética a problemas nas articulações, a doença gengival crônica e não tratada pode, na verdade, causar artrite reumatoide.

É por isso que consideramos sangramento nas gengivas (por escovação suave e / ou uso do fio dental) como um sinal de alerta importante.

Lembre que se sua **gengiva sangrar quando escovada suavemente e / ou passar fio dental, isso significa que as bactérias vilãs têm acesso a todo o seu corpo através da corrente sanguínea**.

A conexão da boca com outras doenças do corpo
Nossas bocas, principalmente as bolsas gengivais (os pequenos espaços entre o tecido gengival e as raízes dos dentes), podem desempenhar um papel muito importante na formação de doenças sistêmicas.

As bolsas gengivais fornecem um lugar perfeito para as bactérias vilãs se estabelecerem e aumentarem suas populações.

Veja, as bolsas gengivais podem estar na boca, mas estão funcionalmente fora do alcance de nosso sistema imunológico.

Essas bolsas também fornecem um ambiente anaeróbico (que significa “baixo oxigênio”), que é exatamente o que esses insetos bandidos precisam para prosperar.

Um inimigo que trabalha às escondidas
Se não forem controladas, as bactérias vilãs nas bolsas gengivais obtêm um ambiente aconchegante, a salvo do sistema imune, no qual se reproduzem e aumentam em número e, quando estão prontas, têm acesso direto a todo o corpo através da rede de vasos capilares que conduzem à corrente sanguínea.

Veja que traçamos um paralelo entre as bactérias das doenças gengivais e um inimigo super furtivo. Este inimigo em particular planeja seu ataque e aumenta seu número do lado de fora de nossas defesas, e então usa um alçapão para entrar furtivamente em nossa fortaleza quando quiser.

Como interromper essa colonização
A boa notícia é que podemos agir para evitar que bactérias vilãs dominem nossas bocas.

É por isso que é tão importante aprender a gerenciar nosso microbioma bucal e se tornar um ‘bom regente’ da sinfonia em nossas bocas.

A estratégia é simples: atrapalhar e desorganizar as bactérias vilãs, frustrando suas tentativas de construir seu exército ao longo e sob a linha da gengiva.

Aqui estão algumas estratégias-chave para ajudá-lo a conseguir isso:

  • Escove os dentes sempre após as refeições;
  • Use o fio dental diariamente e sempre após cada refeição.

A grande mídia recentemente desconsiderou a importância do fio dental quando um estudo o apontou como ineficaz para impedir a cárie dentária entre os dentes.

Nós consideramos o uso do fio dental um hábito saudável e imprescindível a uma boa saúde bucal.

O ponto principal é que o uso do fio dental nos ajuda a desorganizar as colônias de bactérias vilãs, especialmente entre nossos molares (um local comum para a doença nas gengivas se instalarem se não tomarmos medidas diárias consistentes para eliminar as populações de bactérias vilãs).

Confira o artigo que aborda a importância do uso do fio dental na redução do risco de doenças cardíacas.

Aprenda a manter biofilmes finos

Estudos de pesquisa mostraram que vários óleos essenciais podem nos ajudar a controlar nosso microbioma bucal, evitando o amadurecimento da placa.

O óleo essencial de hortelã-pimenta e o eugenol (um composto encontrado no óleo de cravo) estão entre os mais eficazes no controle do biofilme que a bactéria P. gingivalis usa para florescer.
A estratégia é ser um bom administrador de nossa flora bucal, mantendo os biofilmes da placa finos, porque quando um biofilme da placa amadurece, ele fica mais espesso, o que estimula o crescimento de bactérias vilãs (incluindo P. Gingivalis e A. Actinomycetemcomitans).

A doença gengival está ligada apenas à artrite reumatoide?
Talvez, mas não pensamos assim.
Os estudos sobre a relação causal entre essas doenças bucais específicas e a artrite representam apenas um aspecto de doença gengival / doença crônica que foi identificado. Existem muitas bactérias nocivas relacionadas a doenças gengivais que podem desencadear uma inflamação crônica.

A pesquisa médica já traçou correlações claras entre doenças gengivais e câncer, doenças cardíacas, diabetes, bebês com baixo peso ao nascer – a lista é interminável.

Agora sabemos que não apenas a doença gengival está relacionada à artrite, mas que existem uma relação causal. Entendemos ser apenas uma questão de tempo até que os pesquisadores possam mostrar que as doenças gengivais podem causar uma série de outras doenças (estabelecer relações causais).

Certa vez um famoso oncologista Dr. Josef Issels  declarou que “97% de todos os cânceres têm uma relação causal com a boca, dentes, mandíbula e amígdalas”.

Portanto, vamos evitar que essa potencial cascata inflamatória crônica prejudique a saúde de todo o corpo, aprendendo a se tornar um bom regente da sinfonia em nossa própria boca.

Enquanto isso, vamos ensinar as crianças em nossas vidas como lidar com sua flora oral, uma habilidade que irá ajudá-las por toda a vida.

Siga a Dentalis no Instagram @DentalisSoftware, no Facebook @Dentalis.Software e no twitter @Dentalisnet

Fontes: Periodontitis and rheumatoid arthritis: epidemiologic, clinical, and immunologic associationsAggregatibacter actinomycetemcomitans-induced hypercitrullination links periodontal infection to autoimmunity in rheumatoid arthritisThe antimicrobial activity of essential oils and essential oil components towards oral bacteriaOlympus Therapy

Sugestões de leitura

Aparelho de cerâmica

Aparelhos de cerâmica: Prós e Contras

Os aparelhos cerâmicos realinham, ajustam e endireitam os dentes da mesma forma que os aparelhos metálicos tradicionais.  No entanto, os aparelhos cerâmicos têm...

Patógeno da periodontite e a conexão com a doença de Alzheimer

Um estudo investigando o papel do Treponema denticola (T. denticola) na patogênese da doença de Alzheimer foi apresentado por Zhiqun Tang do Hospital...

Esclerose múltipla e extrações dentárias

A esclerose múltipla costuma causar fadiga extrema e dificuldades físicas que podem tornar desafiador ao paciente cuidar de sua saúde bucal. Como resultado,...

Mais eficientes na redução da placa e da inflamação gengival

Novo estudo com pacientes com periodontite revela que escovas interdentais e palhetas interdentais de borracha são mais eficientes na redução da placa e...

Crianças com aftas, o que fazer?

As aftas geralmente são úlceras rasas, brancas, cinzas ou amareladas com borda vermelha que podem durar até duas semanas. Algumas pessoas as confundem...

Diabetes pode enfraquecer os dentes e favorecer a cárie dentária

Diabetes, enfraquecimento dos dentes e cáries Pessoas com diabetes tipo 1 e tipo 2 são propensas a cáries dentárias, e um novo estudo...

Que tal você se juntar aos nossos clientes e se tornar um case de sucesso também?