Estudo: pressão arterial da mãe pode indicar o sexo do bebê

A pressão arterial de uma mulher antes da gravidez tem uma relação estreita com a probabilidade dela dar à luz um menino ou uma menina.

A possibilidade de prever o sexo do bebê no início da gravidez tem sido um tema de fascínio público, gerando inúmeras teorias de características maternas associadas à presença de um feto masculino ou feminino. Contudo, até hoje nenhuma dessas teorias foi conclusivamente apoiada por evidências experimentais robustas.

Isto pode estar mudando agora, graças aos dados coletados pela equipe do professor Ravi Retnakaran, do Hospital Monte Sinai de Toronto (Canadá), e que acabam de ser publicados no American Journal of Hypertension.

As observações levantam a possibilidade de que pode haver diferenças subjacentes que se relacionam com a probabilidade de uma mulher dar à luz um menino ou menina.

Monitoramento

A equipe começou montando uma amostra representativa da população de 3.375 mulheres jovens que estavam planejando ter uma gravidez no futuro próximo. E então as acompanharam desde 2009, para ver quais engravidavam e qual o sexo dos seus bebês.

Além de fazer um controle para idade, escolaridade e tabagismo, a equipe monitorou uma série de indicadores de saúde das mulheres, incluindo IMC (Índice de Massa Corporal), perímetro da cintura, colesterol LDL, colesterol HDL, triglicérides e glicose e pressão arterial.

As gravidezes no grupo resultaram no nascimento de 739 meninos e 672 meninas.

A média da pressão arterial sistólica ajustada antes da gravidez foi maior nas mulheres que posteriormente tiveram um menino do que nas que deram à luz uma menina – 106,0 vs. 103,3 mm Hg.

Proporção entre sexos

Após todos os ajustes estatísticos, a equipe concluiu que uma maior pressão arterial materna antes da gravidez é um fator preditivo independente de dar à luz um menino.

“Isto sugere que a pressão arterial de uma mulher antes da gravidez é um fator previamente não reconhecido que está associado com sua probabilidade de dar à luz um menino ou uma menina. Este novo insight pode ter implicações tanto para o planejamento reprodutivo, quanto para nossa compreensão dos mecanismos fundamentais subjacentes à proporção entre sexos em humanos,” disse o professor Retnakaran.

Sugestões de leitura

Aparelho de cerâmica

Aparelhos de cerâmica: Prós e Contras

Os aparelhos cerâmicos realinham, ajustam e endireitam os dentes da mesma forma que os aparelhos metálicos tradicionais.  No entanto, os aparelhos cerâmicos têm...

Patógeno da periodontite e a conexão com a doença de Alzheimer

Um estudo investigando o papel do Treponema denticola (T. denticola) na patogênese da doença de Alzheimer foi apresentado por Zhiqun Tang do Hospital...

Esclerose múltipla e extrações dentárias

A esclerose múltipla costuma causar fadiga extrema e dificuldades físicas que podem tornar desafiador ao paciente cuidar de sua saúde bucal. Como resultado,...

Mais eficientes na redução da placa e da inflamação gengival

Novo estudo com pacientes com periodontite revela que escovas interdentais e palhetas interdentais de borracha são mais eficientes na redução da placa e...

Crianças com aftas, o que fazer?

As aftas geralmente são úlceras rasas, brancas, cinzas ou amareladas com borda vermelha que podem durar até duas semanas. Algumas pessoas as confundem...

Diabetes pode enfraquecer os dentes e favorecer a cárie dentária

Diabetes, enfraquecimento dos dentes e cáries Pessoas com diabetes tipo 1 e tipo 2 são propensas a cáries dentárias, e um novo estudo...

Que tal você se juntar aos nossos clientes e se tornar um case de sucesso também?