Deixe seus dados para receber mais conteúdo no futuro

    Você toparia ter uma teleconsulta com um dentista para um atendimento inicial? SimNão

    Forças mecânicas de biofilmes bacterianos e o papel nas infecções

    Pesquisas recentes demonstraram que forças mecânicas de biofilmes bacterianos podem deformar os tecidos biológicos.
    Isso sugere um modo “mecânico” de infecção bacteriana.

    A maioria das bactérias no mundo vive em superfícies formando estruturas chamadas de “biofilmes”. Esses biofilmes bacterianos hospedam milhões de bactérias de diferentes tipos.
    São tão biologicamente complexas e ativas que os cientistas as descrevem como “cidades bacterianas”.

    Biofilmes bacterianos — estilo de vida preferido das bactérias

    Os biofilmes bacterianos são de fato o estilo de vida preferido das bactérias.
    Elas os formam fixando-se umas às outras em superfícies tão diversas como o fundo do oceano, os órgãos internos e os dentes.
    placa dentária é um exemplo comum de biofilme bacteriano.
    Os biofilmes bacterianos, porém, também causam infecções crônicas.
    Por exemplo, o patógeno oportunista Pseudomonas aeruginosa é o causador de biofilmes nos pulmões de pacientes com fibrose cística.

    Geralmente, a interação entre o biofilme e o hospedeiro é considerada bioquímica.
    Evidências sugerem que a interação física e mecânica entre eles são muito importantes. Como tal, muitas vezes é negligenciada como uma influência na fisiologia do hospedeiro.

    Como os biofilmes se formam em materiais assemelhados a tecidos moles?

    Esta é a pergunta que uma equipe de cientistas liderada por Alex Persat na EPFL se atreveu a responder.

    Eles demonstraram que os biofilmes de duas bactérias patogênicas principais, Vibrio cholerae e Pseudomonas aeruginosa, podem causar grandes deformações estruturais em materiais moles como os hidrogéis.

    Quando as bactérias formam biofilmes, elas se fixam em uma superfície e começam a se dividir. Ao mesmo tempo, elas mergulham em uma mistura de polissacarídeos, proteínas, ácidos nucleicos e detritos de células mortas. Essa mistura forma uma substância pegajosa que é chamada de matriz. Essa matriz é uma mistura complexa, identificado como “substâncias poliméricas extracelulares”.

    Crescimento do biofilme bacteriano na matriz

    À medida que uma única bactéria cresce dentro dessa matriz, ela o estica ou compacta, exercendo estresse mecânico.
    O crescimento do biofilme bacteriano e as propriedades elásticas da matriz geram tensões mecânicas internas.

    Os cientistas cultivaram biofilmes em superfícies macias de hidrogel e mediram como eles exerceram forças sobre as variações dos componentes da matriz.
    O estudo revelou que os biofilmes induzem deformações por “empenamento” como um tapete ou uma régua.
    O tamanho das deformações depende da rigidez do material “hospedeiro” e da composição da matriz.

    Modo mecânico de infecção

    Os pesquisadores também descobriram que os biofilmes de V. cholerae podem gerar estresse mecânico suficiente para deformar e danificar monocamadas de células epiteliais moles. Células como aquelas que revestem a superfície de nossos pulmões e intestinos.
    O que isso significa?

    Quer dizer que as forças geradas pelo crescimento de biofilmes podem comprometer mecanicamente a fisiologia de seu hospedeiro.

    Em suma, os biofilmes podem promover um modo “mecânico” de infecção, o que pode justificar uma abordagem totalmente nova para os tratamentos. A partir dessa descoberta, surgem no horizonte novas perspectivas de tratamento das infecções bacterianas.

    O laboratório do professor Alexandre Persat faz parte do Global Health Institute da EPFL, situado na School of Life Sciences.

    Siga a Dentalis no Instagram @DentalisSoftware, no Face @Dentalis.Software e no twitter @Dentalisnet

    Fontes: Revista eLifePhys Org

    Deixe seus dados para receber mais conteúdo no futuro

      Você toparia ter uma teleconsulta com um dentista para um atendimento inicial? SimNão

      Sugestões de leitura

      Novo Antibiótico: Uma Inovação Promissora para a Odontologia

      Hoje falaremos sobre uma descoberta que pode revolucionar o tratamento das infecções odontológicas. Recentemente, foi desenvolvido um novo antibiótico que representa um avanço...

      Um elixir que pode combater a periodontite: conheça o elixir de Matcha.

      Hoje vamos conversar sobre uma descoberta que pode contribuir para o tratamento da periodontite.Vocês já ouviram falar do elixir oral de Matcha? Pois...

      Gel de lidocaína: uma técnica anestésica útil para a terapia periodontal não cirúrgica

      Hoje compartilharemos com vocês uma descoberta interessante na área da odontologia. Recentemente um estudo publicado no Journal of Periodontology destacou a eficácia do gel...

      Bruxismo e TEPT: Ranger os dentes pode ser sinal de estresse pós-traumático

      Hoje vamos compartilhar com vocês algumas informações interessantes sobre um tema que pode afetar muitas pessoas: o transtorno de estresse pós-traumático (TEPT) e...

      Magnificação na Odontologia Moderna: Abrindo Caminhos para Precisão e Conforto

      Hoje vamos abordar  um assunto muito importante na odontologia moderna: a magnificação. É incrível como essa tecnologia tem se mostrado um aliado indispensável,...

      Odontologia restauradora: solução Inovadora para Dentes Pilares Não Paralelos

      No dinâmico cenário da odontologia, um avanço significativo surge para enfrentar um desafio persistente enfrentado por pacientes e profissionais: dentes pilares não paralelos....