O que são viroses e como elas aparecem

Rigorosamente falando, virose é toda doença causada por vírus. Genericamente, costuma-se chamar de “virose” quando não se consegue identificar o vírus específico. Por outro lado, trata-se a doença pelo seu nome específico quando ele é conhecido (por exemplo: sarampo, catapora, dengue, etc.). Essas doenças englobam patologias muito simples, como uma gripe ou uma verruga, até outras muito graves e talvez mortais, como a AIDS e as infecções causadas pelo vírus Ebola.

Outras doenças viróticas comuns são o herpes simples, a hidrofobia, a poliomielite, a mononucleose infecciosa, certas formas de diarreias, de conjuntivite, de pneumonia, de meningite e de hepatite.

Os vírus são seres que não chegam a formar células e por isso não têm uma vida própria. Todo vírus só sobrevive no interior de uma célula (humana, animal ou vegetal), parasitando-a, e aí pode dar rápida origem a uma grande quantidade de novos vírus diferentes dos originais, mediante um processo que se chama mutação. O vírus causa uma grande alteração do metabolismo celular podendo, inclusive, matar a célula. Fora de uma célula, o vírus não guarda nenhuma das propriedades vitais: não cresce, não se multiplica, não reage a estímulos, etc.

Como os vírus são transmitidos?

Alguns vírus só são transmitidos por meio de seringas e agulhas contaminadas, contatos sexuais e contato com sangue contaminado. Outros vírus se transmitem por vários meios, como uso comum de vasilhas ou objetos, água e secreções contaminadas.

A incubação do vírus dura de 5 a 7 dias, período no qual a pessoa infectada não apresenta sintomas. Indivíduos infectados, mesmo em fase ainda assintomática ou de recuperação, são transmissores, o que facilita a disseminação das viroses.

Quais os sintomas das viroses?

Os sintomas das viroses são mais ou menos comuns a todas, mas há nuances que as diferenciam segundo o tipo de vírus e o local do corpo que afetam. O início das viroses geralmente é agudo, com aparecimento de febre alta, calafrios, dores de cabeça, anorexia, náuseas, dores abdominais, dor de garganta e prostração. Em alguns casos aparecem, depois do quinto ao sétimo dias, manifestações hemorrágicas que podem evoluir para a morte.

No verão, são muito comuns as viroses gastrointestinais, cujos sintomas mais comuns são: diarreia, vômito, dores no corpo, dores nas articulações, dores abdominais, tosse e febre. Em geral esse quadro dura de três a cinco dias. Na maioria das vezes os sintomas desaparecem em 48 a 72 horas.

Deve-se estar atento para a possibilidade das viroses propiciarem a ocorrência de infecções bacterianas, complicando-se com os sintomas delas. Isso ocorre, pois uma infecção viral pode debilitar temporariamente o organismo, criando uma oportunidade para o crescimento bacteriano, levando a uma nova infecção.

Quem tem mais viroses?

As crianças e os idosos são mais susceptíveis a este tipo de infecção, pois ou não tem um sistema imunológico totalmente desenvolvido ou ele já não responde mais como deveria.

Qual o tratamento das viroses?

As medicações utilizadas nas viroses ainda são pouco eficazes. Muitas viroses desaparecem espontaneamente. Para cada caso aconselham-se providências diferentes. Devem ser tomados os cuidados sintomáticos cabíveis para cada um deles como repouso, hidratação e alimentação adequadas, controle da temperatura, prevenção de infecções bacterianas, etc.

O médico deve sempre ser consultado para sugerir a terapêutica mais adequada. Como algumas viroses são altamente contagiosas, certas providências preventivas são recomendáveis, como não partilhar utensílios, lavar as mãos antes das refeições ou depois de ir ao banheiro, evitar ambientes fechados, dentre outras.

Sugestões de leitura

Morsicatio buccarum

Morder a parte interna da boca: o que causa esse hábito?

Mordeduras na parte interna da boca podem causar lesões na mucosa.  É um comportamento repetitivo e compulsivo.  Pode resultar em sangramento, inflamação e...

Aparelho de cerâmica

Aparelhos de cerâmica: Prós e Contras

Os aparelhos cerâmicos realinham, ajustam e endireitam os dentes da mesma forma que os aparelhos metálicos tradicionais.  No entanto, os aparelhos cerâmicos têm...

Patógeno da periodontite e a conexão com a doença de Alzheimer

Um estudo investigando o papel do Treponema denticola (T. denticola) na patogênese da doença de Alzheimer foi apresentado por Zhiqun Tang do Hospital...

Esclerose múltipla e extrações dentárias

A esclerose múltipla costuma causar fadiga extrema e dificuldades físicas que podem tornar desafiador ao paciente cuidar de sua saúde bucal. Como resultado,...

Mais eficientes na redução da placa e da inflamação gengival

Novo estudo com pacientes com periodontite revela que escovas interdentais e palhetas interdentais de borracha são mais eficientes na redução da placa e...

Crianças com aftas, o que fazer?

As aftas geralmente são úlceras rasas, brancas, cinzas ou amareladas com borda vermelha que podem durar até duas semanas. Algumas pessoas as confundem...

Que tal você se juntar aos nossos clientes e se tornar um case de sucesso também?