Conheça como o Dentalis pode ajudar o seu consultório

Os gânglios linfáticos podem aumentar o sucesso do tratamento contra o câncer?

A imunoterapia contra o câncer é um tratamento promissor que aproveita o poder do sistema imunológico para combater o câncer. No entanto, apenas uma pequena porcentagem de pacientes com tumores sólidos responde a essa abordagem. Uma possível razão é que os gânglios linfáticos, que são locais-chave para ativar as células imunológicas, são frequentemente removidos durante a cirurgia antes da imunoterapia.

Nesta postagem do blog, exploraremos como os gânglios linfáticos podem aumentar o sucesso da imunoterapia contra o câncer, com base em pesquisas recentes de cientistas da UC San Francisco e dos Institutos Gladstone. Também discutiremos as implicações desse achado para futuras práticas clínicas e pesquisas.

Linfonodos e imunoterapia contra o câncer

Os gânglios linfáticos são pequenos órgãos que filtram a linfa, um fluido que transporta células imunológicas e outras substâncias por todo o corpo. Eles também servem como centros para gerar e ativar células T, um tipo de célula imune que pode reconhecer e eliminar células cancerígenas.

A imunoterapia contra o câncer visa estimular as células T a atacar os tumores de forma mais eficaz. Existem diferentes tipos de imunoterapia contra o câncer, como os Inibidores do Controle Imunológico, que bloqueiam moléculas que impedem que as células T ataquem as células cancerígenas, e a terapia com células CAR T, que modifica geneticamente as células T para atingir antígenos específicos do câncer.

No entanto, a maioria das imunoterapias contra o câncer se concentra no aumento das células T no tumor, que podem ser esgotadas ou suprimidas pelo microambiente do tumor. Eles podem negligenciar o papel dos gânglios linfáticos na produção e preparação de novas células T que podem circular no sangue e se infiltrar no tumor.

Além disso, muitos pacientes com câncer passam por cirurgia para remover o tumor primário e os gânglios linfáticos próximos antes de receber a imunoterapia. Isso é feito para prevenir ou detectar a metástase, que é a disseminação de células cancerígenas para outras partes do corpo. No entanto, isso também pode reduzir o pool de células T disponíveis para imunoterapia.

Como os gânglios linfáticos podem aumentar o sucesso do tratamento contra o câncer

Um estudo recente de Spitzer e colegas, publicado na Cell em março de 2023, sugere que deixar os gânglios linfáticos intactos até depois da imunoterapia pode aumentar a eficácia contra tumores sólidos. O estudo foi baseado em um ensaio clínico que envolveu 20 pacientes com melanoma, um tipo de câncer de pele que costuma ser resistente aos tratamentos convencionais.

Os pacientes receberam inibidores do Controle Imunológico anti-PD-1 ou anti-CTLA-4 antes da cirurgia. Anti-PD-1 e anti-CTLA-4 são drogas que bloqueiam moléculas que inibem a ativação e função das células T.

Os pesquisadores então analisaram o tecido tumoral e os gânglios linfáticos dos pacientes após a cirurgia, usando uma nova técnica de imagem de tecido que pode identificar e medir cada tipo de célula e seu estado de ativação.

Os pesquisadores descobriram que a imunoterapia aumentou o número e a atividade das células T tanto no tumor quanto nos gânglios linfáticos. Eles também descobriram que as células T nos gânglios linfáticos tinham maior expressão de genes relacionados à proliferação, migração e citotoxicidade do que as células T nos tumores. Isso sugere que os gânglios linfáticos são fontes importantes de células T potentes que podem viajar para tumores e matar células cancerígenas.

Os pesquisadores também observaram que os pacientes que tinham níveis mais altos de ativação de células T em seus gânglios linfáticos tiveram melhores resultados clínicos do que aqueles que tinham níveis mais baixos. Isso indica que a resposta linfonodal pode ser um biomarcador útil para prever a resposta à imunoterapia.

Prática clínica e pesquisa

O estudo de Spitzer e colegas fornece novos insights sobre como os gânglios linfáticos podem aumentar o sucesso da imunoterapia contra o câncer. Também desafia a prática atual de remoção de gânglios linfáticos antes da imunoterapia, o que pode limitar sua eficácia.

O estudo sugere que a preservação dos gânglios linfáticos até depois da imunoterapia pode aumentar a resposta das células T e melhorar os resultados clínicos para pacientes com tumores sólidos. No entanto, mais pesquisas são necessárias para confirmar essa hipótese e determinar o momento ideal e a sequência da cirurgia e da imunoterapia.

O estudo também destaca a necessidade de melhores métodos para avaliar o estado dos gânglios linfáticos em pacientes com câncer. Atualmente, a cirurgia é o padrão ouro para detecção de metástase em linfonodos, mas é invasiva e pode ter efeitos adversos. Técnicas não invasivas, como imagem ou biópsia líquida, podem oferecer formas alternativas de monitorar o envolvimento dos linfonodos sem comprometer a resposta da imunoterapia.

Concluindo

Em suma, os gânglios linfáticos não são apenas locais potenciais de metástase, mas também potenciais aliados para a imunoterapia do câncer. Ao entender como eles contribuem para a ativação e função das células T, podemos projetar estratégias mais eficazes para aproveitar seu poder contra o câncer.

Siga a Dentalis no Instagram @DentalisSoftware, no Facebook @Dentalis. Software, e no Twitter @Dentalisnet

Fonte: Can lymph nodes boost the success of cancer immunotherapy?

Conheça como o Dentalis pode ajudar o seu consultório

Sugestões de leitura

Diabetes e doença gengival – a conexão

Estudos recentes reforçam a constatação de que diabetes e doença periodontal, como periodontite, estão diretamente ligados.

Câncer de cabeça e pescoço: detecção por teste de urina

Novo e revolucionário teste de urina que possibilita a detecção precoce de fragmentos de DNA característicos de células cancerígenas

Fio ou fita dental: qual é a melhor para sua higiene dental?

Fio ou fita dental são essenciais à rotina diária de limpeza dos dentes. Mas afinal, qual devo escolher? Qual é melhor para você?

Remédios para asma podem em maior ou menor grau trazerem problemas à sua saúde bucal. Saiba o que fazer e como evitar que isso aconteça.

Remédios para asma podem fazer mal à saúde bucal?

Remédios para asma podem em maior ou menor grau trazerem problemas à sua saúde bucal. Saiba o que fazer e como evitar que...

As impressoras 3D estão revolucionando a odontologia. Conheça suas aplicações e os benefícios para dentistas e pacientes.

Impressoras 3D na odontologia: uma revolução em curso

As impressoras 3D estão revolucionando a odontologia. Conheça suas aplicações e os benefícios para dentistas e pacientes.

Cientistas desenvolvem um novo teste para detecção precoce do câncer oral que não requer o uso de biópsias.

Detecção do câncer oral – novo método

Hoje quero compartilhar com vocês uma descoberta incrível na área da odontologia.Vocês sabiam que o câncer oral representa cerca de 90% dos casos...