Periodontite e câncer: uma relação cada vez mais próxima

Trabalhos recentes vem cada vez mais evidenciando a ligação entre periodontite e câncer.
Isso porque a 
periodontite pode elevar o risco para o desenvolvimento de algumas formas de câncer.
É o que sugere uma matéria publicada na 
revista Gut detalhando um estudo prospectivo.

Os pesquisadores descobriram a ligação entre um histórico de periodontite e um risco elevado de câncer de esôfago (garganta) e câncer gástrico (estômago). Esse risco também se mostrou maior entre pessoas que haviam tido perda de dentes anteriormente.

Achados anteriores sobre a relação entre periodontite e perda dentária com câncer de esôfago e gástrico foram inconsistentes.

Portanto, uma equipe de pesquisadores de Harvard T.H. A Escola de Saúde Pública Chan, em Boston, EUA, realizou um estudo de dados de pacientes ao longo de décadas de acompanhamento.

Eles examinaram a associação de história de doença periodontal e perda dentária com o risco de câncer de esôfago e estômago.

Periodontite e câncer — o que o estudo encontrou

Os pesquisadores examinaram a associação de história de periodontite e perda dentária com o risco de câncer de esôfago e estômago em 98.459 mulheres do Nurses ‘Health Study (1992-2014) e 49.685 homens do Health Professionals Follow-up Study (1988-2016).

Medidas odontológicas, dados demográficos, estilo de vida e dieta foram avaliados. Isso tudo através de questionários de acompanhamento e o diagnóstico de câncer autorreferido foi confirmado após revisão dos prontuários médicos.

Os resultados mostraram que durante 22-28 anos de acompanhamento, ocorreram 199 casos de câncer de esôfago e 238 casos de câncer gástrico.

Um histórico de doença periodontal foi associada a um risco aumentado de 43% e 52% de câncer de esôfago e câncer gástrico, respectivamente.

Em comparação com pessoas sem perda dentária, os riscos de câncer esofágico e gástrico para aqueles que perderam dois ou mais dentes também foram modestamente maiores – 42% e 33%, respectivamente.

Além disso, entre os indivíduos com história de doença periodontal, a ausência de perda dentária e a perda de um ou mais dentes foram igualmente associadas a um risco aumentado de 59% de câncer de esôfago em comparação com aqueles sem história de doença periodontal e sem ausência de dentes.

Da mesma forma, o mesmo grupo de indivíduos apresentou risco 50% e 68% maior de câncer gástrico, respectivamente.

Periodontite e câncer — razões dessa associação

Os autores apontam as possíveis razões para uma associação entre bactérias orais (microbiota oral) e câncer esofágico e gástrico.
Existem evidências de 
outros estudos dessa associação. Esses estudos sugerem que tannerella forsythia e porphyromonas gingivalis estavam associados com a presença ou risco de câncer de esôfago. Ambas são membros do ‘complexo vermelho’ dos patógenos periodontais. Ambas podem promover a formação de nitrosaminas endógenas. Essa classe de substância é conhecida pelo seu potencial cancerígeno num quadro de câncer gástrico. Sua formação se dá através de bactérias redutoras de nitrato.

Outra possível razão é relação da má higiene bucal com a doença periodontal.

Este foi um estudo observacional. Assim, nenhuma conclusão definitiva pode ser tirada sobre causa e efeito.
Portanto, os pesquisadores não podem descartar a possibilidade de que alguns dos riscos observados podem estar relacionados a outros fatores não mensurados.

Periodontite e câncer — concluindo

Na palavra dos pesquisadores: “Juntos, esses dados apoiam a importância do microbioma oral no câncer de esôfago e gástrico. Estudos prospectivos adicionais que avaliem diretamente o microbioma oral são necessários para identificar bactérias orais específicas responsáveis por essa relação. As descobertas adicionais podem servir como biomarcadores não invasivos e ajudar a identificar indivíduos com alto risco para esses cânceres”.

Siga a Dentalis no Instagram @DentalisSoftware,  no Face @Dentalis.Software e no twitter @Dentalisnet

Fonte: BMJ Journals (Gut)

Sugestões de leitura

Morsicatio buccarum

Morder a parte interna da boca: o que causa esse hábito?

Mordeduras na parte interna da boca podem causar lesões na mucosa.  É um comportamento repetitivo e compulsivo.  Pode resultar em sangramento, inflamação e...

Aparelho de cerâmica

Aparelhos de cerâmica: Prós e Contras

Os aparelhos cerâmicos realinham, ajustam e endireitam os dentes da mesma forma que os aparelhos metálicos tradicionais.  No entanto, os aparelhos cerâmicos têm...

Patógeno da periodontite e a conexão com a doença de Alzheimer

Um estudo investigando o papel do Treponema denticola (T. denticola) na patogênese da doença de Alzheimer foi apresentado por Zhiqun Tang do Hospital...

Esclerose múltipla e extrações dentárias

A esclerose múltipla costuma causar fadiga extrema e dificuldades físicas que podem tornar desafiador ao paciente cuidar de sua saúde bucal. Como resultado,...

Mais eficientes na redução da placa e da inflamação gengival

Novo estudo com pacientes com periodontite revela que escovas interdentais e palhetas interdentais de borracha são mais eficientes na redução da placa e...

Crianças com aftas, o que fazer?

As aftas geralmente são úlceras rasas, brancas, cinzas ou amareladas com borda vermelha que podem durar até duas semanas. Algumas pessoas as confundem...

Que tal você se juntar aos nossos clientes e se tornar um case de sucesso também?