Proteína C-Reativa ligada à Periodontite

A proteína C-reativa e a periodontite

Em estudo recente, pesquisadores descobriram uma importante conexão: a proteína C-Reativa e a doença periodontal.

A proteína C-reativa, também conhecida como PCR, é uma proteína produzida pelo fígado. Ela está aumentada quando existe algum processo inflamatório ou infeccioso acontecendo no corpo.

A proteína C-Reativa apresenta valores elevados diante de um quadro de inflamação, doenças cardiovasculares, neoplasias, doenças reumáticas, traumatismos e outras condições graves de saúde.

Proteína C-Reativa é inespecífica

Um nível sanguíneo elevado da proteína C-Reativa indica a existência de um quadro inflamatório e/ou infeccioso em curso no organismo, porém não indica o local específico em que esse quadro esteja ocorrendo.

O estudo

Na da cavidade oral, a proteína C-reativa (PCR) foi detectada tanto no fluido gengival crevicular quanto na saliva.

O fluido gengival crevicular é o resultado da interação entre o biofilme bacteriano aderido à superfície do dente e as células do tecido periodontal. É uma complexa mistura de substâncias derivadas do soro sanguíneo, leucócitos, células estruturais do periodonto e micro-organismos bucais.

É considerada, como já dissemos, um importante biomarcador para doenças sistêmicas.

Avneesh Tejnani e colegas do Departamento de Cirurgia Oral & Maxilofacial da MGM Dental College Navi Mumbai, Maharashtra Índia realizaram a presente revisão para avaliar as propriedades biológicas do PCR, a associação entre PCR e a doença periodontal, e a possibilidade de que o PCR possa ser um potente alvo terapêutico.

Foi realizada uma busca sistemática por dados relacionados à associação entre PCR e doença periodontal para reconhecimento de estudos em animais e humanos.

Os seguintes achados foram revelados:

  • O PCR sanguíneo apresenta tendência à redução em pacientes com periodontite que respondem melhor ao tratamento. Já aqueles em outras condições sistêmicas podem manter uma tendência de elevação nos valores de PCR;
  • Pode levar até 6 meses para que o tratamento periodontal apresente um efeito significativo sobre o PCR sistêmico;
  • Existe uma possível relação de dose-resposta entre a extensão da resolução da infecção periodontal e os níveis de redução do PCR sanguíneo;
  • A relação entre doença periodontal e PCR é complexa. Isso porque outros fatores podem ter um papel significativo no nível geral de PCR.

Concluindo

Com base nos fatos, os autores concluíram que “há certamente uma relação entre doença periodontal e doença sistêmica com PCR”, o que é muito importante.

Pacientes com periodontite moderada a grave devem ser informados do risco elevado que pode existir para eventos cardiovasculares relacionados à periodontite.

Os autores do estudo consideram que a avaliação sistêmica de pacientes com periodontite deve considerar os níveis sistêmicos de Proteína C-Reativa (PCR).

No entanto, mais estudos são necessários para esclarecer a correlação entre a terapia periodontal, seus efeitos sobre os níveis sistêmicos de PCR e eventos cardiovasculares, como as placas ateromatosas cardíacas.

Fonte: International Journal of Periodontology and Implantology

Sugestões de leitura

Aparelho de cerâmica

Aparelhos de cerâmica: Prós e Contras

Os aparelhos cerâmicos realinham, ajustam e endireitam os dentes da mesma forma que os aparelhos metálicos tradicionais.  No entanto, os aparelhos cerâmicos têm...

Patógeno da periodontite e a conexão com a doença de Alzheimer

Um estudo investigando o papel do Treponema denticola (T. denticola) na patogênese da doença de Alzheimer foi apresentado por Zhiqun Tang do Hospital...

Esclerose múltipla e extrações dentárias

A esclerose múltipla costuma causar fadiga extrema e dificuldades físicas que podem tornar desafiador ao paciente cuidar de sua saúde bucal. Como resultado,...

Mais eficientes na redução da placa e da inflamação gengival

Novo estudo com pacientes com periodontite revela que escovas interdentais e palhetas interdentais de borracha são mais eficientes na redução da placa e...

Crianças com aftas, o que fazer?

As aftas geralmente são úlceras rasas, brancas, cinzas ou amareladas com borda vermelha que podem durar até duas semanas. Algumas pessoas as confundem...

Diabetes pode enfraquecer os dentes e favorecer a cárie dentária

Diabetes, enfraquecimento dos dentes e cáries Pessoas com diabetes tipo 1 e tipo 2 são propensas a cáries dentárias, e um novo estudo...

Que tal você se juntar aos nossos clientes e se tornar um case de sucesso também?