Quais problemas podem ocorrer após uma cirurgia de implante dental?

Victor Hugo Cardoso •

Embora a cirurgia de implante dentário tenha uma alta taxa de sucesso, não é adequada para todos. Também pode causar complicações a longo prazo.

Um implante dentário é um substituto de longo prazo para um dente perdido. O implante, consiste em um parafuso de titânio que um cirurgião-dentista aparafusa no osso maxilar. Ao longo de várias semanas, o implante e o osso maxilar se fundem. Uma vez fundido, o implante pode suportar um dente ou coroa artificial.

De acordo com a American Academy of Implant Dentistry, cerca de 3 milhões de pessoas nos Estados Unidos contam com implantes dentários. Os implantes dentários também estão crescendo em popularidade. A AAID afirma que o número de pessoas que os recebem está aumentando em cerca de 500.000 pacientes por ano.

Este artigo descreve as possíveis complicações e problemas de longo prazo que podem surgir como resultado da cirurgia de implante dentário.
Você também obterá informações sobre as taxas de sucesso do implante, cuidados posteriores e tempo de recuperação.

Cirurgia de implante dentário – possíveis complicações

Existem várias complicações potenciais que podem ocorrer após a colocação de um implante dental.
A seguir seguem a descrição de algumas delas.

Implante dentário – Complicações mais comuns

Infecção

As pessoas devem cuidar bem de seus implantes dentais para reduzir o risco de infecção. É vital seguir os conselhos do cirurgião-dentista em relação aos cuidados posteriores.

O tratamento de uma infecção depende da sua gravidade e da localização. Por exemplo, uma infecção bacteriana na gengiva pode exigir antibióticos ou um enxerto de tecido mole.

Já uma infecção bacteriana no osso pode exigir a remoção do tecido ósseo infectado e possivelmente do implante. Posteriormente seguido por um enxerto de osso e tecido mole.

Retração gengival

Em alguns casos, o paciente pode descobrir que o tecido gengival ao redor do implante começa a diminuir. Isso pode causar inflamação e dor. Obter uma avaliação imediata do dentista é essencial para evitar a remoção do implante.

Implante que não se funde com o osso

Nas primeiras semanas após a cirurgia, o implante dental estará crescendo e se fundindo com o osso maxilar.
Esse processo é chamado de 
osseointegração. Ele é crucial para o sucesso do implante a longo prazo. É um processo que pode levar vários meses.

Se o implante não se fundir com o osso, o cirurgião-dentista pode removê-lo. O paciente então poderá então ser submetido a um novo procedimento de implante depois da cicatrização da área.

Dano ao tecido ou nervo

Às vezes, inadvertidamente um implante dental pode ficar posicionado muito próximo de um nervo. Isso pode causar dormência, formigamento ou dor a longo prazo.

Um estudo de 2012 observou que o dano ao nervo induzido pela cirurgia de implante dental pode levar a um declínio na qualidade de vida.

Um problema de nervo ou tecido requer atenção imediata. Lesões no nervo alveolar inferior na mandíbula podem ser particularmente graves.

Alguns possíveis sintomas de uma lesão do nervo alveolar são:

  • Dormência persistente na lateral do implante, incluindo lábio inferior e queixo;
  • Dor ou desconforto persistente;
  • Sensação de formigamento, cócegas ou queimação nas gengivas e na pele.

Problemas menos comuns

A cirurgia de implante dental também pode resultar em alguns problemas menos comuns. Problemas esses como sinusite e danos ao próprio implante dentário.

Problemas de sinusite

Os implantes dentais da mandíbula superior podem se projetar para as cavidades nasais. Tal condição poderá causar inchaço dos seios da face. Isso é conhecido como sinusite.

Seguem alguns sintomas característicos de sinusite:

  • Dor, sensibilidade ou inchaço ao redor das bochechas, olhos ou testa;
  • Muco nasal verde ou amarelo;
  • Nariz congestionado;
  • Olfato reduzido;
  • Dor que se irradia pela face;
  • Dor de dente;
  • Mau hálito;
  • Febre.

Danos por força excessiva

Como acontece com qualquer dente, força ou impacto excessivo pode fazer com que o implante dental sofra rachaduras ou se solte.

Alguns pacientes podem aplicar força excessiva em seus implantes dentais, mesmo sem perceber.
Por exemplo, alguns indivíduos rangem os dentes enquanto dormem (bruxismo).
Pessoas com tendência a bruxismo podem precisar usar um 
protetor bucal para evitar danos ao implante e também aos dentes naturais.

Problemas de longo prazo

peri-implantite é uma variedade de doença gengival que causa perda do osso que suporta o implante.
Ela se desenvolve devido à inflamação crônica no local do implante.

De acordo com uma revisão de 2017, a peri-implantite pode levar cerca de 5 anos para progredir e causar sintomas.
Esses sintomas geralmente incluem 
sangramento ou inchaço ao redor do local do implante dental.

Também existe uma rara possibilidade de o corpo rejeitar um implante dental.

Com base em uma revisão de 2019, os pesquisadores estão investigando os riscos do uso de implantes dentais compostos de titânio ou outros metais.

Alguns pacientes apresentam uma sensibilidade rara a (metais), o que faz com que seus corpos rejeitem implantes de metal.
Os pesquisadores recomendam que os indivíduos façam testes preliminares de sensibilidade a metais antes de receberem os implantes.

Para quem os implantes dentais são recomendáveis?

De acordo com a American Academy of Implant Dentistry, os implantes dentários são uma boa solução para pessoas que estão substituindo dentes danificados por cáries ou decorrentes de traumas graves.

No entanto, dois problemas potenciais em relação aos implantes dentais são a adequação e a taxa de sucesso.
Os parágrafos a seguir discutirão isso com mais detalhes.

Adaptabilidade

Um dos principais problemas dos implantes dentais é que eles não são adequados para todas as pessoas.

Para receber implantes dentais, o indivíduo deve ter uma boa saúde geral.
Eles também 
devem ter gengivas saudáveis e uma mandíbula saudável. Isso porque essas estruturas irão suportar o implante ao longo da vida da pessoa.

Os implantes dentários não são adequados para crianças, pois os ossos faciais ainda estão em fase de crescimento.

Taxa de sucesso

Às vezes, um implante dentário pode falhar.
Os profissionais de saúde categorizam a falha do implante em uma de duas categorias. São a 
falha precoce (que ocorre antes da inserção do implante) ou falha tardia (que ocorre após o implante ter sido colocado por um espaço de tempo).

Os implantes dentários têm uma taxa de sucesso em torno de 95%.
No entanto, eles podem ter uma taxa de sucesso reduzida entre pessoas que:

  • Fumam;
  • Tem diabetes;
  • Apresentam doença gengival;
  • Receberam tratamento radioterápico na região da mandíbula;
  • Consomem determinados medicamentos.

Como garantir a sucesso de implante

A melhor maneira de garantir o sucesso de um implante dental é seguir os conselhos de manutenção do cirurgião-dentista.

Depois de se submeter à cirurgia de implante, a pessoa deve evitar alimentos e bebidas quentes e seguir uma dieta de alimentos leves por pelo menos alguns dias.

Também é importante evitar exercícios extenuantes por 2 a 3 dias para evitar o aumento do fluxo sanguíneo e o edema.

Tal como acontece com os dentes naturais de uma pessoa, um implante e os tecidos ao seu redor requer limpeza regular. O indivíduo deve seguir a rotina de passar fio dental na área, ao menos uma vez por dia, após a cicatrização da gengiva. E também usar escovas interdentais para acessar as áreas mais difíceis de alcançar.

As pessoas também devem agendar exames odontológicos regulares e consultas para limpeza das áreas abaixo da linha das gengivas.

É altamente recomendável que fumantes parem de fumar, pois, isso reduzirá o risco de complicações decorrentes da colocação do implante.

Acompanhamento odontológico

Após a colocação de um implante, o dentista poderá prescrever antibióticos para ajudar na prevenção de uma infecção.
Pode também ser necessária a prescrição de um analgésico para alívio da dor.

Qualquer inchaço ou hematoma deve diminuir alguns dias após a cirurgia.
No entanto, se a dor e o inchaço persistirem por mais de uma semana, o paciente deve marcar uma consulta odontológica de acompanhamento.

O processo de cicatrização inicial leva algumas semanas.
Já 
a osseointegração completa pode levar meses.

O indivíduo deve procurar atendimento odontológico se os seus implantes dentários começarem a se mover ligeiramente ou continuarem a doer após algumas semanas. Buscar de imediato a solução para o problema é fundamental para prevenir complicações.

No dia a dia

Cirurgias de implantes dentais geralmente requerem apenas anestésicos locais. Assim, a maioria das pessoas tende a ter um tempo de recuperação relativamente curto.

No entanto, alguns pacientes podem apresentar os seguintes sintomas no pós operatório:

  • Dor no local do implante dentário;
  • Sangramento leve;
  • Hematomas na gengiva ou pele;
  • Inchaço das gengivas ou rosto.

É recomendável que o paciente descanse bastante após o procedimento.
Também é recomendável uma dieta temporária de alimentos moles e a aplicação de uma bolsa de gelo na parte afetada do rosto para ajudar a aliviar a inflamação.

Os níveis de desconforto podem variar de pessoa para outra. Isso também irá depender do número de implantes colocados pelo cirurgião.
No entanto, 
tomar paracetamol ou ibuprofeno deve ser suficiente para o alívio da dor.
Geralmente, 
os analgésicos são necessários por 2 a 3 dias após o procedimento.

O tempo médio que uma pessoa leva para se recuperar totalmente após uma cirurgia de colocação de implantes varia, de cerca de 2 a 6 meses.
Assim que a cicatrização for concluída, o cirurgião-dentista pode colocar um dente artificial no implante.

Resumindo

Cirurgia de implante dental não é adequada para todos.
O paciente precisará passar por um extenso exame odontológico para que se possa determinar se é ou não um candidato adequado para o procedimento.

Os implantes dentais apresentam uma alta taxa de sucesso, em torno de 95%. E levam a uma maior qualidade de vida para muitas pessoas.

No entanto, os implantes dentais podem causar desencadear complicações, como infecções, recessão gengival e danos aos nervos e tecidos.
O paciente deve consultar seu cirurgião-dentista se vier a desenvolver qualquer sintoma preocupante após o procedimento.

Siga a Dentalis no Instagram @DentalisSoftware, no Facebook @Dentalis.Software e no twitter @Dentalisnet

Fontes: NatureNHSInternational Journal of DentistryEuropean Journal of DentistryMouth Healthy

Sugestões de leitura

Aparelho de cerâmica

Aparelhos de cerâmica: Prós e Contras

Os aparelhos cerâmicos realinham, ajustam e endireitam os dentes da mesma forma que os aparelhos metálicos tradicionais.  No entanto, os aparelhos cerâmicos têm...

Patógeno da periodontite e a conexão com a doença de Alzheimer

Um estudo investigando o papel do Treponema denticola (T. denticola) na patogênese da doença de Alzheimer foi apresentado por Zhiqun Tang do Hospital...

Esclerose múltipla e extrações dentárias

A esclerose múltipla costuma causar fadiga extrema e dificuldades físicas que podem tornar desafiador ao paciente cuidar de sua saúde bucal. Como resultado,...

Mais eficientes na redução da placa e da inflamação gengival

Novo estudo com pacientes com periodontite revela que escovas interdentais e palhetas interdentais de borracha são mais eficientes na redução da placa e...

Crianças com aftas, o que fazer?

As aftas geralmente são úlceras rasas, brancas, cinzas ou amareladas com borda vermelha que podem durar até duas semanas. Algumas pessoas as confundem...

Diabetes pode enfraquecer os dentes e favorecer a cárie dentária

Diabetes, enfraquecimento dos dentes e cáries Pessoas com diabetes tipo 1 e tipo 2 são propensas a cáries dentárias, e um novo estudo...

Que tal você se juntar aos nossos clientes e se tornar um case de sucesso também?