Qual a conexão entre leucemia e o sangramento das gengivas?

Leucemia e o sangramento gengival

A leucemia é uma categoria de câncer que afeta as células sanguíneas. Tem como um de seus sintomas o sangramento incomum: sangramentos nasais ou de gengivas.

Várias condições diferentes podem fazer com que a gengiva sangre, e a leucemia não é a causa provável, mas é uma condição que não pode ser descartada.

Diante de um quadro de sangramento gengival um indivíduo deve consultar seu dentista para buscar uma causa odontológica para tanto, o que na maioria das vezes é a razão original do problema.

Este artigo examinará a relação entre leucemia e gengivas sangrando. Também discutirá outros sintomas orais de leucemia e algumas possíveis opções de tratamento.

Há ligação entre leucemia e sangramento de gengivas?

A leucemia é um tipo de câncer que afeta a produção de células sanguíneas na medula óssea, especialmente os glóbulos brancos.

Alterações em células sanguíneas podem reduzir as plaquetas que ajudam na coagulação sanguínea e previnem o sangramento abundante. Como resultado,

um dos sintomas comuns de leucemia é o sangramento. Sangramento que também pode afetar a gengiva.

Certos tipos de leucemia, particularmente a leucemia mieloide aguda, também podem causar o inchaço e o aumento da gengiva. Isso favorece o surgimento de lesões e sangramento ao escovar os dentes.

A leucemia pode ser a causa do sangramento gengival se a gengiva apresentar inchaço ou se o sangramento ocorrer de forma repentina em uma pessoa com boa saúde bucal.

No entanto, mesmo em pessoas com leucemia, a condição pode não ser porque as gengivas sangram. Importante destacar que

 as doenças gengivais são a causa mais comum pelo sangramento gengival.

Outros sintomas bucais relacionados à leucemia

Indivíduos com leucemia podem se defrontar com outros sintomas orais, tais como:

  • Sangramento na boca, que pode afetar a língua, lábios ou bochechas;
  • Gengivas inchadas ou dolorosas;
  • Gengivas pálidas ou palidez na boca;
  • Crescimento excessivo de tecido gengival ao redor dos dentes, o que pode fazer com que a forma ou o tamanho dos dentes mudem na aparência;
  • Feridas ou ferimentos na boca.

Esses sintomas geralmente se relacionam com a destruição de células sanguíneas e alterações no perfil hematológico.

A quimioterapia tem como alvo as células cancerígenas, mas também pode eliminar células saudáveis. Consequentemente, as defesas imunológicas do paciente enfraquecem, podendo desenvolver problemas bucais relacionados à quimioterapia, como feridas bucais e infecções mais frequentes.

Pessoas com leucemia devem estar atentas ao risco potencial de surgimento de infecções bucais que provocam dor oral e feridas

O que fazer em relação à saúde odontológica

Antes de iniciar a quimioterapia, muitos dentistas recomendam aos pacientes o tratamento de cáries e/ou tratamento de doenças gengivais graves. Essas medidas podem evitar que essas condições piorem quando a quimioterapia for iniciada, já que haverá um enfraquecimento do sistema imunológico.

As seguintes estratégias podem ajudar a reduzir o risco de problemas de saúde bucal em indivíduos com leucemia:

  • Durante o tratamento, peça orientações ao seu dentista diante da necessidade de parar temporariamente de escovar os dentes se for doloroso;
  • Questione seu dentista sobre o uso de enxaguante bucal com clorexidina, que pode reduzir o risco de problemas dentários;
  • Tente usar géis anestésicos nas feridas que surgirem na boca. Seu dentista poderá lhe dar as devidas orientações;
  • Quando a leucemia estiver em remissão, retorne a um regime regular de cuidados bucais, incluindo escovação e uso regular de fio dental após as refeições.

Além disso, busque manter uma rotina de idas ao dentista regulares para prevenir e tratar quaisquer problemas de saúde bucal.

Tratamento

Quando surgem problemas de saúde bucal devido à leucemia, o tratamento se concentra na leucemia e não nos problemas secundários da boca.

As opções de tratamento de leucemia variam dependendo da idade da pessoa, sua saúde e o tipo de leucemia que ela tem. Algumas opções podem incluir:

– Quimioterapia;

– Terapia de anticorpos monoclonais, que ajuda o corpo a combater o câncer de forma eficaz;

– Radioterapia;

– Medicamentos para tipos específicos de leucemia;

– Transplantes de células-tronco.

Os medicamentos contra o enjoo podem ajudar a aliviar os efeitos colaterais da quimioterapia. Um especialista pode recomendar tratamentos para fortalecer o sistema imune, e algumas pessoas podem necessitar de transfusões de sangue.

Um especialista também pode sugerir tratamento para problemas de saúde bucal para prevenção da cárie dental grave e redução do risco de infecção.

Algumas opções de tratamento de saúde bucal podem incluir:

  • Enxágue da boca para proteção dos dentes e gengivas;
  • Consultas odontológicas mais frequentes;
  • Procedimentos odontológicos para tratar infecções na gengiva;
  • Medicamentos para dor para feridas bucais ou gengivas doloridas;
  • Antibióticos para o tratamento de feridas e outras lesões bucais;
  • Tratamentos antifúngicos para infecções fúngicas na boca.

Quando procurar um especialista

Gengivas sangrando pode ser um sintoma de doença gengival mesmo em pessoas sem leucemia. Receber tratamento rápido pode prevenir sérios problemas de saúde.

Por exemplo, a doença gengival se correlaciona com um maior risco de doenças cardiovasculares e

 diabetesIsso significa ser vital para todas as pessoas com gengivas sangrando consultar um dentista.

O indivíduo deve entrar em contato com seu médico ou dentista se:

  • Tem leucemia e nota a presença de sintomas de infecção na boca, como dor ou aparecimento de feridas na língua, ou boca;
  • Tem leucemia e não consegue escovar confortavelmente ou passar fio dental em seus dentes;
  • Percebe um aumento repentino no sangramento da gengiva;
  • Percepção de dor bucal e febre, o que pode sinalizar a presença de uma infecção dental grave.

Concluindo

As gengivas afetam e refletem a saúde geral. Isso significa que se uma pessoa tem gengivas sangrando, ela pode ter problemas de saúde que vão além da boca.

A presença  de sangramento gengival em pessoas com leucemia está relacionada à classificação da leucemia e o quanto afeta a produção de plaquetas que previnem o sangramento abundante.

Toda pessoa deve entrar em contato com seu dentista ao perceber que suas gengivas sangram.

Pessoas com leucemia que também apresentam sangramento gengival devem informar seu oncologista e o dentista do ocorrido.

Siga a Dentalis no Instagram @DentalisSoftware, no Facebook @Dentalis.Software e no twitter @Dentalisnet

Fontes: Oral signs of acute leukemia for early detection, leucemia, Adult Acute Myeloid Leukemia Treatment, Como é o hemograma de uma pessoa com leucemia, Mouth Sores and Pain, Transplante de células-tronco, Periondental disease, Oral Manifestation as the Main Sign of an Advanced Stage Acute Promyelocytic Leukemia

Sugestões de leitura

Aparelho de cerâmica

Aparelhos de cerâmica: Prós e Contras

Os aparelhos cerâmicos realinham, ajustam e endireitam os dentes da mesma forma que os aparelhos metálicos tradicionais.  No entanto, os aparelhos cerâmicos têm...

Patógeno da periodontite e a conexão com a doença de Alzheimer

Um estudo investigando o papel do Treponema denticola (T. denticola) na patogênese da doença de Alzheimer foi apresentado por Zhiqun Tang do Hospital...

Esclerose múltipla e extrações dentárias

A esclerose múltipla costuma causar fadiga extrema e dificuldades físicas que podem tornar desafiador ao paciente cuidar de sua saúde bucal. Como resultado,...

Mais eficientes na redução da placa e da inflamação gengival

Novo estudo com pacientes com periodontite revela que escovas interdentais e palhetas interdentais de borracha são mais eficientes na redução da placa e...

Crianças com aftas, o que fazer?

As aftas geralmente são úlceras rasas, brancas, cinzas ou amareladas com borda vermelha que podem durar até duas semanas. Algumas pessoas as confundem...

Diabetes pode enfraquecer os dentes e favorecer a cárie dentária

Diabetes, enfraquecimento dos dentes e cáries Pessoas com diabetes tipo 1 e tipo 2 são propensas a cáries dentárias, e um novo estudo...

Que tal você se juntar aos nossos clientes e se tornar um case de sucesso também?