câncer oral

Razões para o atraso do diagnóstico do câncer oral

câncer oral e o atraso no diagnóstico

A grande maioria dos cânceres orais são diagnosticados tardiamente. Conheça as cinco principais razões responsáveis pelo diagnóstico tardio e o que fazer para detectar prematuramente os primeiros sinais e sintomas dessa grave patologia.

O câncer oral e o atraso no diagnóstico é um problema a ser superado.

O câncer de oral continua sendo diagnosticado em estágios avançados, reduzindo as chances de sobrevivência dos pacientes

O objetivo deste estudo canadense foi justamente explorar os motivos da demora no diagnóstico do câncer bucal.

Para isso, as informações foram recuperadas do banco de dados do Alberta Cancer Registry entre 2005 e 2017, selecionando uma amostra de 34 notas de consulta inicial de pacientes com câncer de boca e orofaringe após passagem por todos os protocolos relevantes.

Com base nesses casos, os autores da análise identificaram e descreveram cinco categorias principais de fatores que contribuíram para a detecção tardia dos cânceres de boca e orofaringe:

Intervalo de avaliação: Na maioria dos casos, o tempo decorrido entre o momento em que os pacientes notaram as alterações iniciais na região da cabeça e pescoço até percebê-las como um problema de saúde que os levou a procurar aconselhamento odontológico  ou médico e ser diagnosticado;

Comportamento dos pacientes: Nesse sentido, o comportamento dos pacientes estudados foi variado: apenas alguns procuraram ajuda imediatamente, outros em um período entre 14 e 1000 dias, mas alguns levaram até muitos anos;

Intervalo de diagnóstico: É aqui que os dentistas e médicos de família desempenham um papel fundamental, pois são eles que realizam o exame inicial e detectam lesões potencialmente malignas na cavidade oral. Se houver desconhecimento dos primeiros sinais e sintomas do câncer de cabeça e pescoço, diagnóstico equivocado ou escolha inadequada de intervenções e exames médicos, isso contribui para o diagnóstico tardio.

Intervalo de pré-tratamento: ou seja, o período entre a data do diagnóstico definitivo até o paciente receber o primeiro tratamento.

✔ E outros fatores, como comportamentos relacionados à saúde e características do tumor, também influenciaram a detecção tardia.

Segundo os autores da publicação, a tudo isso se soma a falta de conhecimento por parte do paciente.

O que esses resultados mostram, na opinião dos responsáveis ​​pelo estudo, são principalmente duas linhas de ação a seguir:

👉 Ter um plano sustentável para realizar ações de conscientização pública sobre os sinais clínicos do câncer oral e da importância do diagnóstico precoce;

👉 Implementar um currículo amplo e sólido para estudantes de odontologia e medicina que sirva para melhorar seus conhecimentos relacionados ao câncer bucal, sua competência no julgamento clínico e no gerenciamento de tratamentos possíveis e mais adequados.

Apesar de tudo, avanços importantes ainda estão sendo trabalhados, como o caso de um exame PCR que poderia detectar o câncer bucal em apenas 90 minutos e que, por poder ser realizado no consultório odontológico, diminuiria muito os tempos de detecção e diagnóstico.

Siga a Dentalis no Instagram @DentalisSoftware, no Facebook @Dentalis. Software, e no Twitter @Dentalisnet

Fontes: Retrospective study of factors associated with late detection of oral cancer in alberta: A qualitative study, Factors Associated With Late Detection of Oral Cancer

 

Sugestões de leitura

Nova estratégia para prevenção e tratamento da cárie dentária

Uma das infecções mais comuns relacionadas ao biofilme é a cárie dentária, que afeta uma população de mais de 60% das crianças e...

Primeiro teste rápido de câncer oral do mundo

O qMIDS, o primeiro teste rápido de câncer oral do mundo, foi desenvolvido pela Queen Mary University of London e uma equipe internacional...

Mais eficientes na redução da placa e da inflamação gengival

Novo estudo com pacientes com periodontite revela que escovas interdentais e palhetas interdentais de borracha são mais eficientes na redução da placa e...

Crianças com aftas, o que fazer?

As aftas geralmente são úlceras rasas, brancas, cinzas ou amareladas com borda vermelha que podem durar até duas semanas. Algumas pessoas as confundem...

penicilinas, implante dental, risco de falha, antibióticos alternativos

Alergia à penicilina e os riscos de falhas em implantes dentários

A imensa maioria dos procedimentos de implantes dentários são bem-sucedidos. Porém, infecções relacionadas podem aumentar o risco de falhas. Os antibióticos podem manter...

Nanobots no tratamento de canal

Uma equipe do Instituto Indiano de Ciências  descobriu que os nanobots — robôs nanométricos controlados magneticamente — podem ser utilizados para passar pelos túbulos dentinários e...

Que tal você se juntar aos nossos clientes e se tornar um case de sucesso também?