Conheça como o Dentalis pode ajudar o seu consultório

Uso da Canábis medicinal na Odontologia

A Canábis medicinal na odontologia poderá virar uma realidade? Essa é a possibilidade indicada por trabalhos científicos recentes.

A placa dentária é um biofilme complexo que se acumula na superfície dos dentes e nos tecidos da cavidade bucal. Ela serve como um reservatório para múltiplos patógenos bacterianos que funcionam como agentes causadores de vários problemas dentários (por exemplo, cárie, doença periodontal, halitose e inflamação gengival). As boas práticas de cuidados odontológicos possibilitam a remoção e a supressão desses patógenos, reduzindo as doenças bucais.

Evidências pré-clínicas de compostos canabinoides encontrados na planta “Cannabis sativa” exibem propriedades antimicrobianas. Novos usos de canabinoides na área odontológica requerem mais investigação, mas a literatura mostra resultados positivos. A adição de canabinoides ao pó de polimento a ar, creme dental e enxaguantes bucais pode aumentar a eficácia do produto quando se trata de controlar o biofilme da placa.

Histórico da planta

A Canabis é derivada da planta “Cannabis sativa” e tem sido usada para uso recreativo por pessoas há décadas.

No entanto, a investigação vem crescendo, permitindo à ciência conhecer os benefícios e riscos do consumo dos seus derivados, levando assim ao desenvolvimento de todo o tipo de produtos naturais derivados de diferentes componentes, todos orientados para utilizações múltiplas.

Isso fez com que ganhasse grande popularidade, principalmente na área farmacêutica e especialmente na cosmética e na medicina.

A análise química da cannabis identificou mais de 500 compostos, dos quais 120 são canabinoides, sendo um deles o tetraidrocanabinol (THC). É o responsável pelos efeitos psicoativos e altamente viciantes, que também geram prejuízos cognitivos e psicomotores. O isolamento dos componentes da canábis tem sido foco de vários estudos que permitem a identificação e favorecem o desenvolvimento de novas pesquisas em saúde bucal.

Alguns canabinoides têm efeitos anticonvulsivantes, analgésicos e ansiolíticos benéficos. Os canabinoides se ligam a receptores nas células imunológicas humanas. Esse fato sugere que o acionamento desses receptores poderia regular o sistema imunológico do corpo durante um processo infeccioso. O canabidiol (CBD) e o cannabigerol (CBG) estão entre aqueles compostos que podem fornecer esses efeitos benéficos.

O que é o canabidiol (CBD)?

Dos canabinoides derivados da cannabis, o canabidiol (CBD) tem um efeito diferente no cérebro sem atividade psicotrópica.

Isso foi demonstrado em conjunto com propriedades anti-inflamatórias, antibacterianas, analgésicas, entre outras ações no controle de doenças.

O canabidiol tornou-se uma valiosa ferramenta aplicada à medicina (usada para ansiedade, epilepsia, dor, um distúrbio muscular chamado distonia, doença de Parkinson, doença de Crohn e muitas outras condições). Já na odontologia, tem aplicabilidade no combate à placa dentária e à doença periodontal, entre outras condições.

Potencial terapêutico do canabidiol

A atividade antibacteriana dos canabinoides tem sido pesquisada ativamente desde a década de 1950 e desde então só ganhou popularidade. Um estudo de 1976 de van Klingeren e ten Ham observou que certos canabinoides, como THC e CBD, são bacteriostáticos e bactericidas contra uma seleção de patógenos gram-positivos e gram-negativos.

Pesquisas iniciais sugerem que os canabinoides têm o potencial de inibir a formação de placas, reduzir a atividade metabólica dos biofilmes existentes e aumentar a eficácia antibacteriana dos antibióticos em bactérias gram-positivas e também gram-negativas, incluindo Streptococcus mutans, Fusobacterium e Actinobactéria.

Esta é uma informação valiosa para a odontologia. O dentista sempre está atento ao biofilme acumulado nos dentes de seus pacientes, com o papel de os educar sobre a importância do controle desse acúmulo através de práticas de boa higiene bucal.

A adição de um antibiofilme natural, produto antibacteriano, beneficiaria muito a saúde bucal dos pacientes.

Vias de administração

As vias de administração da Canábis medicinal derivada da planta do cânhamo na forma de óleo podem diferir, e a eficácia não demonstrou apresentar variação significativa. É uma substância que pode ser empregada, em produtos, como:

  • Oral (por via oral em forma de cápsula, ou comprimido);

  • Tópico (na pele na forma de cremes, loções, pomadas);

  • Sublingual (debaixo da língua na forma de solução alcoólica ou tintura e sprays orais);

  • Comestíveis (administração como alimento por via oral; por exemplo, goma de mascar, pasta de dente);

  • Fio dental revestido.

Embora esta substância não seja controlada, os produtos e suplementos de venda livre não são aprovados pelo FDA norte-americano, pois não foi demonstrado isenção de vestígios de tetraidrocanabinol (THC).

No entanto, alguns estudos identificaram que o extrato de “cannabis sativa” apresenta efeitos inibitórios em diferentes bactérias. Isso significa que impede seu crescimento e elimina o que já está presente. Essas descobertas geraram diferentes usos e patentes da Canábis medicinal que se tornaram uma tendência em saúde e cosméticos no exterior.

Efeitos do canabidiol na saúde bucal

A periodontite é uma das doenças crônicas mais comuns; em geral, em todo o mundo, afeta 11% da população.

Na América Latina, chega a cerca de 10% e nos Estados Unidos da América cerca de 10%.

Importante ressaltar que 46% diz respeito a população adulta.

A periodontite, com a gengivite e a cárie, é caracterizada por inflamação das gengivas, vermelhidão, dor, infecção e danos nos tecidos.

Os sintomas devem-se principalmente à placa bacteriana que se forma e se deposita ao longo do tempo sob as gengivas, atingindo o osso e a base ou o interior do dente, o que pode levar à perda dental.

Alguns pacientes com diabetes, obesidade, sistema imunológico deficiente e fumantes são mais suscetíveis a desenvolverem periodontite.

No entanto, a cannabis sativa ou óleo de cânhamo canabidiol (CBD) em sua forma pura demonstrou ser um agente anti-inflamatório e antimicrobiano que pode auxiliar no tratamento da periodontite, uma vez que diferentes estudos identificaram a inibição da formação de biofilme, gerador da placa dental.

Deve-se esclarecer que o consumo de maconha (canábis) não gera efeitos do canabidiol.

Pelo contrário, o consumo de cannabis (fins recreativos, por exemplo) pode agravar a situação, produzindo manchas nos dentes, mau hálito, boca seca (xerostomia) e a insuficiente capacidade de resposta do organismo ao ataque de bactérias e fungos na cavidade oral.

Benefícios do canabidiol

O canabidiol para uso medicinal só deve ser prescrito pelo dentista ou médico que acompanhe o paciente, que determinará o tempo e a dose do tratamento e indicando onde pode ser obtido.

Embora nos EUA algumas empresas não sejam aprovadas pelo FDA, cada estado daquele país tem autonomia para licenciar produtos de canabidiol e quem está autorizado a distribuí-los.

Alguns produtos como enxaguante bucal, creme dental, fio dental, entre outros, são considerados produtos cosméticos, por isso muitos deles incorporaram o canabinol nos EUA.

Seus benefícios são:

  • Os bochechos com infusão ou tinturas de canabinoides têm apresentado potencial equivalente ao uso da clorexidina em termos de atividade antibacteriana;

  • Cremes dentais com canabidiol ou outros canabinoides podem ser eficazes no controle da placa bacteriana, mas devem ser revistos pelo dentista de cada paciente, pois sua indicação varia de pessoa para pessoa;

  • A aplicação do óleo ou enxágue com a tintura em água e mantida por alguns minutos (não ingerida) pode ajudar nos sintomas inflamatórios e/ou no alívio da dor;

  • Com o tempo, pode diminuir a perda óssea ocasionada pela periodontite;

  • Reduz o aparecimento de cáries ou fungos na cavidade oral;

  • Restaura o pH da boca e favorece a remineralização dentária. Isso porque quando as bactérias entram em contato com o alimento, ele acidifica a saliva, favorecendo o crescimento de algumas bactérias, além de não permitir a absorção de certos minerais, o que acaba enfraquecendo os dentes.

Com base nisso, pode ser sugerido para uso após um procedimento odontológico para recuperação rápida e controle dos sintomas.

Segurança, toxicidade e testes

Desde 2020, a maconha medicinal (THC) e o Canabidiol foram legalizados em todos os estados norte-americanos, exceto quatro, e aprovados para uso recreativo em 11 estados e em Washington, DC.

A Food and Drug Administration (FDA) é a agência federal responsável pela aprovação e regulamentação de medicamentos e produtos médicos para garantir da segurança e eficácia. O FDA aprovou apenas um medicamento contendo CBD até o momento: Epidiolex, um medicamento usado para tratar doenças específicas que induzem convulsões. Os estudos continuam a explorar o uso seguro e eficaz de canabinoides em produtos de consumo, mas a segurança e a qualidade do produto precisam de investigação contínua.

Precauções no uso do canabidiol

  • O canabidiol (CBD) não é recomendado para uso durante a gravidez ou lactação, pois os produtos podem estar contaminados com outros ingredientes que podem prejudicar o feto ou o bebê;

  • Nos EUA, alguns produtos que contêm canabidiol são autorizados para uso em crianças com mais de um ano, mas é sempre recomendável verificar o rótulo e confirmar a aprovação do FDA americano. Aqui no Brasil, a verificação da regularidade do produto poderá ser obtida na Anvisa;

  • Pacientes com doença hepática ou renal, ou outra condição devem consultar seu dentista, ou médico, pois pode ser necessário um ajuste (diminuição da dose);

  • O uso prolongado ou em altas doses pode causar efeitos colaterais como diminuição da pressão arterial, tontura, boca seca (xerostomia), sonolência, falta de ar e perda de apetite;

  • Embora não haja relatos de problemas no uso tópico, há possibilidade de reação alérgica;

  • Possibilidade de interação com diversos medicamentos, aumentando ou diminuindo seus efeitos;

  • Pode interagir com diversos outros medicamentos, aumentando ou diminuindo seus efeitos;

  • Contra-indicado para pacientes em uso de medicamentos anticonvulsivantes;

  • Aumenta os níveis de alguns medicamentos psicoativos, agravando assim seus efeitos adversos;

Outras precauções

  • Muitos medicamentos orais são metabolizados no fígado; o canabidiol pode interferir na velocidade de metabolização de outros fármacos, gerando um risco para a eficácia do tratamento ou aumento dos efeitos colaterais;

  • Medicamentos utilizados para melhorar a aceitação corporal em transplantes de órgãos podem ter seus níveis alterados no organismo. Por isso, o canabidiol é contra-indicado para pacientes transplantados;

  • Os níveis de anticoagulantes podem aumentar, elevando o risco de sangramentos;

  • Aumenta o efeito dos anestésicos locais e sistêmicos, podendo prolongar o tempo de sedação e possíveis efeitos adversos.

Devido a essas questões, o uso do canabidiol deverá sempre ser validado pelo dentista ou médico assistente.

Somente o profissional da saúde poderá estabelecer possíveis riscos, fazer ajustes e avaliar a necessidade do canabidiol medicinal para tratamento.

O uso indevido e inadequado do canabidiol pode gerar riscos à saúde bucal, pois não se pode esquecer que ainda é um produto em estudo.

Grau de pureza dos produtos a base de Canabidiol

O canabidiol (CBD) não deve aparecer em um teste de drogas porque esses testes em geral são projetados para detectar o uso de derivados de canábis, mais especificamente para o composto THC. No entanto, algumas formulações de CBD podem conter vestígios de THC e potencialmente levar a um teste de drogas positivo. O potencial para produtos impuros depende de como o fabricante do CBD colhe a planta e extrai o composto. Entender de onde os ingredientes do CBD são derivados é um excelente ponto de partida.

Concluindo

O Canabidiol é um fármaco emergente no controle da inflamação. Nos anos que virão, os pacientes começarão a ver cada vez mais produtos nas prateleiras e começarão a fazer perguntas.

Infelizmente, não existe uma pílula ou poção mágica que erradique a inflamação. Sim, alguns estudos mostraram uma redução da inflamação com esses produtos.

No entanto, nenhum desses produtos atualmente possui o selo de aprovação da American Dental Association (ADA) e, para muitos, isso é um problema.

É bom sempre lembrar que não importa qual produto adjuvante um paciente esteja usando, ele nunca substituirá a escovação mecânica e o uso do fio dental para interromper e remover a placa e o biofilme.

O mercado de Canabidiol é um segmento em rápido crescimento previsto para os próximos anos.

Ler e pesquisar continuamente para ficar a par das tendências atuais, resultados baseados em evidências e pesquisas é a melhor maneira de você dentista, como provedor, manter-se informado e capaz de aconselhar seus pacientes à medida que esse mercado continua a se desenvolver.

Siga a Dentalis no Instagram @DentalisSoftware, no Facebook @Dentalis. Software, e no Twitter @Dentalisnet

Fontes: The Antimicrobial Activity of Cannabinoids, Antibacterial activity of delta9-tetrahydrocannabinol and cannabidiol, Cannabinoids infused mouthwash products are as effective as chlorhexidine on inhibition of total-culturable bacterial content in dental plaque samples, Anti-Biofilm Activity of Cannabidiol against Candida albicans, How Cannabidiol Can Impact Your Dental Health, The growing potential of CBD in dentistry, Identifying and Quantifying Cannabinoids in Biological Matrices in the Medical and Legal Cannabis Era

Conheça como o Dentalis pode ajudar o seu consultório

Sugestões de leitura

Câncer de cabeça e pescoço: detecção por teste de urina

Novo e revolucionário teste de urina que possibilita a detecção precoce de fragmentos de DNA característicos de células cancerígenas

As impressoras 3D estão revolucionando a odontologia. Conheça suas aplicações e os benefícios para dentistas e pacientes.

Impressoras 3D na odontologia: uma revolução em curso

As impressoras 3D estão revolucionando a odontologia. Conheça suas aplicações e os benefícios para dentistas e pacientes.

Cientistas desenvolvem um novo teste para detecção precoce do câncer oral que não requer o uso de biópsias.

Detecção do câncer oral – novo método

Hoje quero compartilhar com vocês uma descoberta incrível na área da odontologia.Vocês sabiam que o câncer oral representa cerca de 90% dos casos...

Conheça dicas de como motivar e incentivar os colaboradores da sua clínica odontológica por práticas simples no dia a dia

Como motivar os colaboradores da sua clínica odontológica

Conheça dicas de como motivar e incentivar os colaboradores da sua clínica odontológica por práticas simples no dia a dia

Câncer bucal: novo teste para detecção

Novo teste que possibilita a detecção precoce do câncer bucal sem a necessidade de procedimentos invasivos. Conheça essa ótima novidade!

Solução de Fluoreto de Diamina: Redução de até 80% das Cáries em Crianças

Novo estudo descobriu que uma solução barata usada para tratar dentes sensíveis pode ser tão eficaz quanto os selantes dentários na prevenção da...