Conheça como o Dentalis pode ajudar o seu consultório

Uso de enxaguante bucal associado ao pré-diabetes?

O uso de enxaguante bucal associado ao pré-diabetes? Como assim?

O uso de enxaguante bucal se mostrou associado a um risco aumentado de pré-diabetes/diabetes. É o que sugere um estudo recente publicado no British Dental Journal.

Risco 50% maior

Muitas pessoas mundialmente usam enxaguante bucal regularmente.

Recentemente, um estudo longitudinal conduzido em Porto Rico que monitorou adultos com sobrepeso e obesos durante um período de três anos (que incluiu avaliações periodontais e de higiene bucal) concluiu que aqueles que usavam enxaguante bucal duas vezes ao dia ou mais no início do estudo tinham um risco aproximadamente 50% maior de desenvolver pré-diabetes/diabetes combinados, em comparação com aqueles que usaram enxaguante bucal menos de duas vezes ao dia ou não usaram.

Qual o mecanismo?

O mecanismo proposto para explicar isso é que o enxaguante bucal tem efeitos antibacterianos na cavidade oral, mas as bactérias orais desempenham um papel importante na via salivar nitrato-nitrito-óxido nítrico, e níveis reduzidos de óxido nítrico estão associados à resistência à insulina, bem como efeitos adversos efeitos cardiovasculares, como hipertensão e disfunção vascular.

Estudo com limitações metodológicas

No entanto, as limitações metodológicas do estudo colocam em questão a generalização dos resultados.

Neste artigo, o importante papel das bactérias orais na produção de óxido nítrico é discutido, e as descobertas do estudo porto-riquenho são consideradas em detalhes.

É importante que os profissionais de odontologia estejam cientes das pesquisas emergentes sobre esse tópico, pois os pacientes frequentemente pedem conselhos sobre o uso de enxaguante bucal como parte de seu regime de higiene oral.

A falta de dados sobre o tipo de enxaguante bucal é uma limitação importante do estudo, pois os enxaguantes bucais podem conter agentes antibacterianos (por exemplo, projetados para o tratamento de gengivite) ou podem ser simplesmente considerados purificadores do hálito. De fato, foi demonstrado que diferentes enxaguantes bucais têm efeitos diferenciais nas concentrações plasmáticas e salivares de nitrito e impacto na pressão sanguínea.

Novas pesquisas são necessárias

Pesquisas futuras são necessárias e podem levar a recomendações de que o enxaguante bucal seja usado não mais do que, por exemplo, uma vez ao dia (dependendo da razão de uso e do tipo de enxaguante bucal usado) e claramente mais pesquisas (idealmente na forma de estudos prospectivos estudos e ensaios clínicos randomizados) são necessárias.

Siga a Dentalis no Instagram @DentalisSoftware, no Facebook @Dentalis. Software, e no Twitter @Dentalisnet

Fontes: Mouthwash use and risk of diabetes, Mouthwash use associated with increased risk of developing prediabetes

Conheça como o Dentalis pode ajudar o seu consultório

Sugestões de leitura

Diabetes e doença gengival – a conexão

Estudos recentes reforçam a constatação de que diabetes e doença periodontal, como periodontite, estão diretamente ligados.

Câncer de cabeça e pescoço: detecção por teste de urina

Novo e revolucionário teste de urina que possibilita a detecção precoce de fragmentos de DNA característicos de células cancerígenas

Fio ou fita dental: qual é a melhor para sua higiene dental?

Fio ou fita dental são essenciais à rotina diária de limpeza dos dentes. Mas afinal, qual devo escolher? Qual é melhor para você?

Remédios para asma podem em maior ou menor grau trazerem problemas à sua saúde bucal. Saiba o que fazer e como evitar que isso aconteça.

Remédios para asma podem fazer mal à saúde bucal?

Remédios para asma podem em maior ou menor grau trazerem problemas à sua saúde bucal. Saiba o que fazer e como evitar que...

As impressoras 3D estão revolucionando a odontologia. Conheça suas aplicações e os benefícios para dentistas e pacientes.

Impressoras 3D na odontologia: uma revolução em curso

As impressoras 3D estão revolucionando a odontologia. Conheça suas aplicações e os benefícios para dentistas e pacientes.

Cientistas desenvolvem um novo teste para detecção precoce do câncer oral que não requer o uso de biópsias.

Detecção do câncer oral – novo método

Hoje quero compartilhar com vocês uma descoberta incrível na área da odontologia.Vocês sabiam que o câncer oral representa cerca de 90% dos casos...